Notícia

Caso Milena Gottardi: advogado pede revogação da prisão de Bruno

Bruno é acusado pela polícia de ter roubado a moto que seria utilizada no assassinato de Milena

O advogado Leonardo Rocha, responsável pela defesa de Bruno Rodrigues Broero, pediu a revogação da prisão temporária do cliente nesta terça-feira (3). Ele alega que Bruno não tinha conhecimento e nem participação no assassinato da médica Milena Gottardi, 38 anos.

> Acompanhe a cobertura do assassinato de Milena

Atualmente, Bruno está no no Centro de Detenção Provisória de Guarapari e divide cela com Dionathas Alves Vieira, de 23 anos, que foi apontado pela polícia como o executor dos disparos.

“Um amigo ofereceu a moto para Bruno, que recusou. No entanto, sabia que Dionathas precisava de uma moto e também ofereceu a ele. A negociação ocorreu em frente à casa de Bruno em Fundão, mas ele não sabia como a moto seria usada”, diz.

Leia também

A execução da médica Milena Gottardi com um tiro na cabeça envolveu uma rede de pessoas e acordos. O crime, segundo a polícia, foi premeditado e encomendado pelo ex-marido dela, o policial civil Hilário Frasson, e pelo sogro, Esperidião Carlos Frasson.

De acordo com a investigação da polícia, pai e filho utilizaram dois intermediários para acobertar os planos e contratar um matador. Dionathas Alves Vieira, que atirou contra Milena, estava desempregado quando recebeu a proposta de R$ 2 mil para matar a médica. Ele, por sua vez, encomendou ao cunhado Bruno o roubo de uma moto para usar no dia do crime.

Ver comentários