Notícia

Depois de Vitória, Vila Velha também anuncia cerco eletrônico

O projeto prevê a aquisição de 40 câmeras e deve começar a funcionar em fevereiro

O projeto deve começar a funcionar em fevereiro, com a câmeras fixas, de imagens em alta resolução, instaladas em mais de 20 pontos
O projeto deve começar a funcionar em fevereiro, com a câmeras fixas, de imagens em alta resolução, instaladas em mais de 20 pontos
Foto: Divulgação

Depois de Vitória, Vila Velha é mais uma cidade que promete implementar o cerco eletrônico no município nos próximos meses. O projeto deve começar a funcionar em fevereiro, com a câmeras fixas, de imagens em alta resolução, instaladas em mais de 20 pontos estratégicos da cidade. 

As câmeras serão operadas pelos agentes da central de videomonitoramento e funcionarão 24 horas por dia. O equipamento tem tecnologia para fazer a leitura das placas dos veículos e identificá-las em caso de roubo ou furto. No mapa do projeto constam pontos nos bairros de Rio Marinho, São Torquato e Nova América, além da Segunda e Terceira Ponte e também na Ponte Florentino Avidos. Outros locais como a Rodovia Leste-Oeste, Estrada do Dique, as localidades de Xuri e de Córrego Sete até a divisa com Guarapari também serão contemplados.

Leia também

“O projeto terá impacto na segurança de toda a cidade, pois vai inibir a pratica de furto e roubo de veículos no município, além de outros benefícios”, afirma Fábio Barcelos, coordenador da Central de Videomonitoramento.

O projeto prevê a aquisição de 40 câmeras por meio de um convênio com a Petrobras para compra de equipamentos na área de segurança, evai custar cerca de R$ 500 mil.

Cerco em 48 pontos de Vitória

No começo de novembro a Prefeitura de Vitória anunciou que a capital vai contar com câmeras em 48 pontos da cidade. Ao todo, serão implantadas 100 câmeras com reconhecimento ótico de caracteres, capazes de identificar todos os veículos que passarem pelos pontos de barreira. A previsão é de que, em Vitória, o sistema esteja em funcionamento no primeiro trimestre de 2018.

Todas as entradas e saídas do município serão contempladas, assim como as ligações entre a área continental e a ilha. A cidade será dividida em cinco grandes setores e os veículos serão visualizados por câmeras sempre que entrarem em uma das áreas. Os pontos de barreiras serão implantados em locais estratégicos e que ligam as diferentes regiões da cidade.

Ver comentários