Notícia

Intervenção no Rio: inteligência da PM já monitora região sul do ES

A informação é do comandante da Corporação, coronel Nylton Rodrigues

Data: 30/01/2018 - ES - Vitória - Nylton Rodrigues coronel da Polícia Militar do ES - Editoria: Cidades - Foto: Marcelo Prest - GZ
Data: 30/01/2018 - ES - Vitória - Nylton Rodrigues coronel da Polícia Militar do ES - Editoria: Cidades - Foto: Marcelo Prest - GZ
Foto: Marcelo Prest

A inteligência da Polícia Militar já está monitorando a região Sul do Espírito Santo na divisa com o Rio de Janeiro. A informação é do comandante da Corporação, coronel Nylton Rodrigues. Ele adiantou que o objetivo é identificar possíveis reflexos da intervenção federal no RJ autorizada por Temer nesta sexta-feira (6). "Estamos monitorando a situação para verificar se há algum impacto no Espírito Santo", relatou o coronel.

Ao colunista Leonel Ximenes, de A Gazeta, o secretário de Estado da Segurança Pública no ES, André Garcia, disse que novas estratégias serão adotadas, além do reforço do policiamento no sul capixaba. "Não é motivo para alarme, mas nós temos que nos precaver", afirmou Garcia.

Leia também

Ainda de acordo com o secretário, o setor de inteligência da Sesp já foi acionado para monitorar a situação e já houve conversas com autoridades em Minas Gerais. "Queremos marcar uma reunião com os secretários de Segurança da Região Sudeste para a próxima semana para avaliarmos uma ação conjunta", explicou.

Na manhã desta terça-feira (16), o presidente Michel Temer decidiu decretar intervenção na segurança pública no Estado do Rio de Janeiro. Com essa medida, as Forças Armadas assumem a responsabilidade do comando das Polícias Civil e Militar no estado do Rio. A decisão ainda terá que passar pelo Congresso Nacional.

No ano passado, em fevereiro de 2017, houve um decreto federal permitindo que as tropas federais atuassem no Espírito Santo durante a greve dos policiais militares que levou caos a todo o Estado. Mas ao contrário do estado carioca, não houve afastamento do secretário de Segurança, André Garcia. Na ocasião, o comandante da PM è época, Laércio Oliveira foi exonerado e, em seu local, assumiu o coronel Nylton.

Ver comentários