Notícia

Mercado Capixaba vai ser reformado com dinheiro da venda do Saldanha

Trânsito na região também irá mudar, com fechamento de rua para pedestres

Com a proposta de revitalização do Centro de Vitória, o tradicional Mercado da Capixaba vai passar por reforma e depois será concedido à iniciativa privada para a implantação de um centro gastronômico e cultural. O local terá capacidade para a instalação de até 14 lojas e espaço para um palco voltado a apresentações artísticas.

 

 

Leia também

Nessa intervenção, os acessos pelas Ruas Arariboia, que será só para pedestres, e Desembargador O’reilly de Souza vão ser abertos para melhorar a circulação do público, totalizando quatro entradas com as das Avenidas Jerônimo Monteiro e Princesa Isabel.

As obras serão realizadas com os recursos da venda do Saldanha da Gama para o Sesc. A negociação foi concluída esta semana, pelo valor de R$ 3,5 milhões, e parte da verba será usada no Mercado.

“Vamos fazer um trabalho de recuperação das fachadas, telhado e calçada. Vamos preparar toda a estrutura para a criação de um centro gastronômico, com espaço para apresentações de cultura”, aponta Lenise Loureiro, secretária municipal de Desenvolvimento da Cidade.

“Além disso, também vamos criar uma via exclusiva para pedestres (os carros deixarão de passar pela Arariboia), com um espaço de convivência junto ao Mercado”, acrescenta.

Para a obra, deverão ser investidos em torno de R$ 2,2 milhões - o cálculo é do ano passado e vai passar por atualização - e a sobra desses recursos será destinada à restauração de outros prédios históricos, que serão definidos posteriormente.

LICITAÇÃO

A licitação para a realização das intervenções deverá ser aberta num prazo de 60 dias e a estimativa é que as obras sejam executadas em 18 meses.

Paralelamente à abertura de licitação para as obras, a Secretaria de Desenvolvimento da Cidade (Sedec) já vai preparar o processo para a concessão do Mercado da Capixaba.

O vencedor da disputa terá um pátio de 690 metros quadrados para a exploração do negócio. O empreendedor poderá fazer algumas intervenções, desde que não mexa em estruturas de interesse de preservação.

Lenise Loureiro conta que a administração tem conversado com alguns representantes do setor comercial para buscar ideias. “É importante esse diálogo prévio a fim de ter mais elementos do mercado antes de fazer a concessão”, ressalta.

Quanto aos lojistas que ainda ocupam o Mercado da Capixaba, a secretária afirma que o processo judicial já foi concluído e eles serão despejados.

SALDANHA

Já no espaço do antigo clube Saldanha da Gama será instalado o Museu de Colonização do Solo Espírito-Santense. O presidente da Federação do Comércio do Espírito Santo (Fecomércio), José Lino Sepulcri, disse que todo o imóvel será restaurado, respeitando as suas características, pois é tombado pelo patrimônio histórico.

“Vamos fazer uma pesquisa nas principais capitais sobre o que existe de mais moderno em termos de museu. Além das peças, também queremos que seja dotado da melhor tecnologia. A proposta é que possa ser um centro de visitação constante, sobretudo de alunos”, afirma José Lino.

Para melhorar o acesso ao museu, será instalado um elevador panorâmico. “Assim, os visitantes terão uma bela vista da baía de Vitória”, ressalta. Também serão criadas 50 vagas para estacionamento. O investimento estimado é da ordem de R$ 6 milhões e a obra deve ser concluída em 2019. 

Ver comentários