Notícia

Familiares de Kauã organizam protesto na orla de Camburi

"Não é possível que um crime com tamanha brutalidade e frieza caia no esquecimento", desabafa tia do menino em rede social

Rainy Bukovsky junto do filho Kauã
Rainy Bukovsky junto do filho Kauã
Foto: Reprodução Facebook

Após a prisão da pastora Juliana Salles, a família do menino Kauã Salles Butkovsky, de 6 anos, organiza um protesto pedindo justiça pela morte do menino e do irmão dele, Joaquim, 3 anos. Os dois foram violentados e queimados pelo pastor Georgeval Alves no dia 21 de abril, em Linhares - padrasto e pai das crianças, respectivamente. O ato está marcado para o dia 1º de julho, às 10h, na Praia de Camburi, em Vitória, com saída em frente ao Hotel Canto do Sol. A avó paterna - mãe do pai de Kauã -, Marlucia Butkovsky, confirmou a ação ao Gazeta Online.

Nas redes sociais, a tia de Kauã, Raysa Butkovsky, divulga o evento "Justiça Kauã e Jhoa". Ao compartilhar a caminhada em sua página no Facebook, Raysa pede mudança nas leis.

Família organiza protesto pedindo justiça pela morte dos irmãos Kauã e Joaquim
Família organiza protesto pedindo justiça pela morte dos irmãos Kauã e Joaquim
Foto: Reprodução/Facebook

"Como todos sabem nos foi tirado o nosso bem mais precioso, Kauãzinho. Para que essa situação não saia impune, mediante a tanta monstruosidade, realizaremos um PROTESTO por todas as crianças que sofrem ou já sofreram abuso sexual. Em especial, pediremos JUSTIÇA e MUDANÇA NAS LEIS BRASILEIRAS para crimes hediondos. Não é possível que um crime com tamanha brutalidade e frieza caia no esquecimento".

> Pastora Juliana Salles é presa em Minas Gerais

O cartaz que circula nas redes sociais diz: "Faça bonito. Proteja nossas crianças e adolescentes. Vamos caminhar juntos contra o abuso sexual de crianças e adolescentes. Contra a impunidade, contra o silêncio, contra a violência!".

Ver comentários