Notícia

Motorista de carro que explodiu em posto vai responder por dois crimes

Segundo o delegado da 2°Delegacia Regional de Vila Velha, Marcelo Nolasco, o condutor do veículo é considerado foragido

Delegado Marcelo Nolasco esteve no posto nesta manhã
Delegado Marcelo Nolasco esteve no posto nesta manhã
Foto: Kaique Dias

O motorista do carro com botijões de gás improvisadas que explodiu durante o abastecimento em um posto de combustíveis em Vila Velha, nesta terça-feira, (10) é considerado foragido pela polícia. Segundo o delegado da 2°Delegacia Regional de Vila Velha, Marcelo Nolasco, o condutor do veículo cometeu dois delitos.

"O dono desse carro fugiu do local do crime após cometer dois delitos. Um de uma lei específica que proíbe a pessoa de usar gás em veículo sem ser devidamente licenciado, que é uma pena de 1 a 5 anos. E um, outro crime do Código Penal, que é causar explosão, colocando pessoas e patrimônio em risco, que é uma pena de três a seis anos. Essa pessoa está foragida neste momento", afirmou em entrevista na manhã desta quarta-feira (11), ao Gazeta Online, no posto em Cobilândia.

Ainda de acordo com Nolasco, a polícia está investigando quem é o dono do carro e irá atrás dessa pessoa. "Ele está em situação flagrancial".

Perguntado sobre o frentista não ter autorização para verificar se o carro tinha cilindro ou era uma botija de gás, o delegado afirmou que o funcionário não abastece diretamente no botijão.

"O frentista certamente estava de boa-fé e foi abastecer pelo motor. Acredito eu, que ele não tivesse condição de saber que era um botijão de gás em vez de um cilindro. Isso será apurado ao longo das investigações também. Mas, a princípio, o que nós temos, de forma clara, é a conduta desse motorista, que causou lesão a dois frentistas e ainda uma questão patrimonial ao posto de gasolina."

AS LEIS

O delegado detalhou as leis que motorista infringiu. "A 8176/91 é uma lei específica para questão de regulamentação desse gás natural. A pessoa não pode utilizar em um carro uma botija de gás. Isso tem que ser devidamente regulamentado, existe toda a legislação. Se a pessoa infringe isso, colocando a sociedade e o patrimônio de pessoas em perigo, ela responde. Nesse caso nós tivemos ainda uma efetividade dessa conduta onde o carro explodiu, lesionando dois frentistas e danificando o posto".

Nolasco também falou do segundo crime. "Nós temos uma outra lei específica do Código Penal em que a pessoa causa explosão, colocando pessoas e patrimônio em risco. Então nós temos duas condutas criminosas que essa pessoa respondeu de uma forma consciente, porque ela jamais poderia usar o carro nessas condições".

Por fim, o delegado explicou que as investigações estão apenas no início e que certamente a polícia irá usar as imagens de câmeras de videomonitoramento do posto.

CARRO ATINGIDO

Encarregado Victor Souza, de 26 anos, que trabalha com o dono do veículo danificado
Encarregado Victor Souza, de 26 anos, que trabalha com o dono do veículo danificado
Foto: Kaique Dias

Além do Escort que explodiu na noite desta terça-feira (10), um outro carro foi atingido. O encarregado Victor Souza, de 26 anos, que trabalha com o dono do veículo danificado, contou que o automóvel fica sempre estacionado ao lado do posto. "É do nosso funcionário. Ele todo dia deixa o carro aqui. Ontem (terça), graças a Deus, só estava o carro parado, sem ninguém dentro. Ele comentou que está impressionado com o dano. Um forte impacto, se tivesse criança aqui teria sido pior", comenta.

Com informações de Kaique Dias

Ver comentários