Notícia

Rachaduras e buracos na ciclovia de Camburi em Vitória

Enquanto 3 novas faixas estão prometidas, local tem problemas

Ciclovia da Praia de Camburi apresenta desgaste
Ciclovia da Praia de Camburi apresenta desgaste
Foto: Vitor Jubini

Enquanto três ciclovias estão sendo prometidas pela Prefeitura de Vitória – duas na Praia do Canto e a outra na Avenida Leitão da Silva –, a passagem exclusiva de ciclistas da Praia de Camburi está com vários problemas. Com rachaduras, buracos e sujeira, os ciclistas precisam desviar dos obstáculos para garantir que cheguem ao destino final sem que aconteça uma queda no trajeto.

Pensando em levar uma vida mais saudável, a recepcionista Dyrlana Almeida Marques, de 42 anos, decidiu ir ao trabalho de bicicleta. Porém, por causa da condição da ciclovia, ela contou que tem medo de cair no caminho.

“Eu tenho feito o trajeto de Jardim Camburi até a Enseada do Suá e a impressão que a gente tem é que falta manutenção na ciclovia. É preciso pedalar com atenção. Tem muita rachadura, e na altura de Jardim Camburi tem muitos buracos.”

A situação fica ainda mais complicada quando chove, segundo o empresário Wilson Luiz Serafim, 58. “Em dias de chuva fica tudo alagado e as rachaduras aumentam. Eu que ando sem equipamento de segurança fico bastante atento para não cair.”

A quantidade de folhas e lixo espalhados pela ciclovia também chamam a atenção dos ciclistas. Enquanto a reportagem estava na orla de Camburi, um plástico agarrou na bicicleta da estudante de Educação Física Isabella Carvalho Coimbra, 20. “Passo por aqui todos os dias e nunca vi fazerem manutenção. Também falta uma limpeza na pista”, diz.

OUTRAS

Apesar do estado de conservação da ciclovia da orla de Camburi, que tem sido alvo de reclamações, uma nova ciclovia está mais perto de sair do papel: a da Rua da Grécia, no Barro Vermelho. Segundo a Prefeitura de Vitória, a obra já foi licitada e a pista exclusiva para bicicletas vai ter uma extensão de 600 metros.

A obra ainda contempla calçadas acessíveis dos dois lados e a expectativa é que fique pronta até o início do ano que vem. O investimento vai custar R$ 600 mil aos cofres municipais.

Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento da Cidade, Henrique Valentim Martins, a intenção é garantir a segurança dos pedestres, dos ciclistas e das pessoas com baixa locomoção. “A ciclovia ajuda na locomoção do ciclista e contribui com a sua segurança, já que a rua é bastante movimentada. Atualmente, o ciclista precisa andar ao lado dos veículos ou concorrer por espaço com pedestres.”

Já a ciclovia da Avenida Rio Branco, na Praia do Canto, ainda não tem data para ser implantada, mas a previsão é que a ela seja construída no canteiro central e tenha 1,8 quilômetro de extensão.

Segundo o secretário, a obra está na fase de captação de recurso. “O projeto está pronto para a captação de recurso. Ele ainda será debatido, a gente não implementa sem ouvir a comunidade”, destacou.

Já em relação a ciclovia da Leitão da Silva, que atravessará vários bairros, a expectativa é que a obra na avenida fique pronta no mês de dezembro, segundo informou a subsecretária de Mobilidade Urbana do Estado, Luciene Becacici, na semana passada. “O dinheiro para a obra está vindo regularmente e o Departamento de Estradas de Rodagem do Estado (DER), responsável pela obra, anunciou que a data da entrega vai ser em dezembro.”

PREFEITURA DIZ QUE FAZ VISTORIA E MANUTENÇÃO

Questionada sobre o estado de conservação da ciclovia de Camburi, a Prefeitura de Vitória informou que realiza vistorias todo mês no local. De acordo com a administração municipal, quando é constatada a necessidade de reparação, uma equipe é enviada para executar o serviço.

“Quando nossa equipe se depara com rachaduras ou buracos, nós fazemos o corte e a recomposição do local. A vistoria é permanente e realizada todo mês. Apresentando a necessidade, nós efetuamos o reparo”, explicou o secretário municipal da Central de Serviços, Leonardo Amorim Gonçalves.

Funcionário faz reparo em rachadura, em Camburi
Funcionário faz reparo em rachadura, em Camburi
Foto: SECOM - PMV | Divulgação

Ainda segundo o secretário, o desgaste da pista é considerado normal e já esperado pela prefeitura. “O desgaste acontece não só em ciclovias, mas também em outros tipos de pavimento. Com a ação do sol, da chuva, do calor, do frio e da utilização é natural ter esse desgaste. Ainda mais em Camburi que tem um grande fluxo. Com o calor há a dilatação do próprio tipo de piso e isso é uma reação natural.”

Leonardo destacou que pessoas que identificarem algum local que mereça intervenção podem comunicar a situação à prefeitura pelo telefone 156 ou pelo aplicativo Vitória Online.

Ver comentários