Notícia

Média das escolas particulares e estaduais do ES é a maior do Brasil

Resultado do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), edição de 2017, foi divulgado nesta quinta-feira pelo Ministério da Educação (MEC)

O MEC coloca o Espírito Santo em destaque na avaliação das duas disciplinas, tanto por ter demonstrado níveis médios de desempenho maiores do que a média nacional, bem como por ter apresentado ganhos de aprendizagem
O MEC coloca o Espírito Santo em destaque na avaliação das duas disciplinas, tanto por ter demonstrado níveis médios de desempenho maiores do que a média nacional, bem como por ter apresentado ganhos de aprendizagem
Foto: Arquivo

O Espírito Santo apresentou o melhor desempenho do país, em Língua Portuguesa e Matemática, entre os alunos da 3ª série do ensino médio. Esse é o resultado do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), edição de 2017, divulgado nesta quinta-feira pelo Ministério da Educação (MEC). 

Conforme os dados apurados, o Estado avançou 6,2 pontos em Língua Portuguesa, entre 2015 e 2017, obtendo média de 283,7; e cresceu no mesmo período 10,5 pontos em Matemática, alcançando 291,6. 

Leia também

O MEC coloca o Espírito Santo em destaque na avaliação das duas disciplinas, tanto por ter demonstrado níveis médios de desempenho maiores do que a média nacional, bem como por ter apresentado ganhos de aprendizagem. Em Matemática, por exemplo, área em que o Estado se saiu melhor, o desempenho médio das escolas de menor nível socioeconômico é semelhante ao de maior nível no Amapá. 

Embora o resultado seja de avaliação das redes estadual e particular, o secretário de Estado da Educação, Haroldo Corrêa Rocha, pondera que o peso do desempenho dos alunos da escola pública é maior, uma vez que representam cerca de 86% dos estudantes do ensino médio.

"A rede particular não consegue jogar nossos números nem para baixo, nem para cima. O impacto maior é da rede estadual", afirma. 

Para Haroldo, a melhoria do Espírito Santo no Saeb é resultado de várias ações, uma das quais o secretário remete ao ano de 2009, quando o tempo de permanência nas escolas aumentou, passando a ser de 5 horas/aula. Mas ele também aponta que medidas mais recentes contribuem para o resultado, como a implantação, em 2015, do Paebes Tri, uma avaliação trimestral que permite ajustes no processo de ensino-aprendizagem, caso seja observada alguma dificuldade por parte dos alunos.

Além do Ensino Médio, o Estado  demonstrou avanços no 5º ano do ensino fundamental, com maior influência dos municípios, e também no 9º ano. Nas duas séries, o Espírito Santo está entre os Estados com desempenho melhor do que a média nacional, tanto em Língua Portuguesa quanto em Matemática, e ainda, no segundo ciclo, apresentou ganho de aprendizagem.

 

Ver comentários