Notícia

Operação de combate à grilagem na Grande Vitória

Operação corpus, realizada pelo Gaeco Central, cumpriu onze mandados de busca e apreensão

Foto: Fábio Machado | Arquivo

Operação realizada pelo Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES) na manhã desta quarta-feira (22) teve como alvo membros de uma organização criminosa voltada para a prática de grilagem na região da Grande Vitória que contava com a participação de agentes públicos. Foram cumpridos onze mandados de busca e apreensão. Detalhes no foram cedidos porque o processo está em segredo de Justiça.

> Operação Naufrágio: processo volta para o MPF e julgamento é adiado

Denominada de "Corpus", a operação teve o objetivo de desarticular e colher provas da apropriação ilegal de imóveis rurais, mediante violência, grave ameaça ou fraude contra os proprietários diretos, em uma prática conhecida por grilagem. Também foi constatada a prática de falsidade ideológica corrupção e exploração de prestígio, com contribuição direta ou mediata de agentes públicos e terceiros beneficiários, segundo nota divulgada pelo MPES.

Participaram dos trabalhos Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco-Central), com apoio do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar do MPES e da Polícia Militar. As decisões são juízo da 7ª Vara Criminal de Vila Velha. Quatro membros do Ministério Público coordenam os trabalhos, auxiliados por 22 agentes do Gaeco e policiais militares que, a partir da agora, analisarão conjuntamente documentos, dados de mídias, e depoimentos de investigados e testemunhas que serão colhidos nas próximas semanas.

> Operação contra esquema de diplomas prende mulheres no ES

Os crimes investigados estão previstos na lei nº 12.850/13 (organização criminosa) e no Código Penal (corrupção ativa, passiva, falsidade documental, tráfico de influência/exploração de prestígio).

Ver comentários