Notícia

Alunas capixabas representam o ES no Parlamento Jovem Brasileiro

As jovens de Marechal Floriano foram selecionadas para participar do projeto que simula a jornada de trabalho de um deputado federal

especial

Marikelly Cristina Moraes da Silva e Bruna Yara Gonçalves da Silva moram em Marechal Floriano, região Serrana do Estado, são do 3º ano do ensino médio da Escola Estadual Emílio Oscar Hülle (EEEFM), frequentam a mesma sala de aula e têm outro ponto em comum: as duas foram selecionadas para representar o Espírito Santo em Brasília, na 15ª edição do Parlamento Jovem Brasileiro (PJB), projeto promovido pela Câmara dos Deputados que possibilita aos estudantes vivenciarem o processo legislativo.

As duas estão entre 78 alunos de ensino médio de escolas públicas e particulares do país que serão empossados como deputados jovens, do dia 1 a 5 de outubro, para participarem de debates e votações em Brasília. Segundo Marikelly, de 18 anos, os estudantes ficaram sabendo do PJB através da professora de língua portuguesa Reni Klippel Machado, de 50 anos. "Ela começou a nos mostrar o projeto um mês antes das inscrições, e incentivou que todos participassem", lembrou.

Marikelly e Bruna vão ficar cinco dias em Brasília vivenciando o dia a dia do Poder Legislativo
Marikelly e Bruna vão ficar cinco dias em Brasília vivenciando o dia a dia do Poder Legislativo
Foto: Tricia de Andrade | Prefeitura de Marechal Floriano

Para se inscreverem, os alunos precisavam elaborar um projeto de lei com uma proposta para melhorar a realidade do país. Dos oito selecionados do Espírito Santo para serem avaliados em Brasília, seis eram de alunos da EEEFM. "Para nós, foi uma grande satisfação duas alunas de nossa escola serem as escolhidas para representar o Espírito Santo. É muito importante que tenhamos jovens pensando e propondo caminhos para a construção de um país melhor", disse a professora Reni. Segundo ela, em 2014, 2015 e 2016 a escola também teve parlamentares jovens selecionados no projeto. "Ter essas pessoas em nossa região incentiva e motiva os alunos a participarem", comemorou.

OS PROJETOS

Marikelly propôs um curso preparatório para pré-candidatos a cargos políticos. "Seria uma exigência para quem quisesse entrar nessa carreira, para que, antes de exercerem a profissão, eles fossem treinados através de um curso online", explicou. Segundo a proposta dela, depois da capacitação, que duraria cerca de 124h, os candidatos eleitos contariam com um auxiliar presencial que acompanharia e aconselharia o político durante os primeiros três meses de mandato.

De acordo com Marikelly, ela teve a ideia depois de ouvir de um ex-político que ele estava com dificuldades para exercer sua função, por não entender muito bem sobre como encaminhar documentos e processos. Quando a professora anunciou na sala de aula que o projeto dela e da amiga tinham sido selecionados, Marikelly não acreditou: "Todos da sala começaram a comemorar e minha ficha simplesmente não estava caindo".

O projeto de Bruna, de 17 anos, tinha como objetivo ajudar os estudantes na escolha de sua futura profissão. "Minha proposta fala sobre a contratação de psicólogos nas escolas públicas para auxiliarem a nós, alunos do ensino médio, a descobrirmos nossas competências e habilidades para seguirmos uma carreira profissional fazendo o que gostamos", salientou. A ideia partiu da própria vivência da jovem: "Conversando com meus colegas de classe, percebi que a dificuldade de não saber o que escolher é enorme. São poucos os que sabem o que querem fazer da vida".

Leia também

Bruna pretende cursar ciências biológicas e dar aulas. Já Marikelly sempre sonhou em trabalhar na área da saúde. Depois do PJB, ele se apaixonou por outra área. "Achei tão legal aprender sobre as leis do meu país, que comecei a pensar em estudar Direito", contou. "A política em si é muito boa, mas há pessoas nela que não têm noção do que devem fazer e acabam deixando-a com outra imagem." 

CONHEÇA O PJB

O Parlamento Jovem Brasileiro acontece desde 2004, todos os anos. O objetivo é "possibilitar aos alunos de ensino médio de escolas públicas e particulares a vivência do processo democrático, mediante a participação em uma jornada parlamentar na Câmara dos Deputados, em que os estudantes tomam posse e atuam como deputados jovens", de acordo com o site da Câmara.

Ao todo, 78 alunos do país representam seus estados desenvolvendo habilidades de argumentação e respeito à diversidade de opiniões. Até 2017, houve a participação de 1002 jovens parlamentares estudantes do ensino médio. Podem participar alunos matriculados no 2º ou no 3º ano do ensino médio ou no 2º, 3º ou 4º ano do ensino técnico, na modalidade integrada ao ensino médio, com idade entre 16 e 22 anos. O número de representantes jovens por estado e no Distrito Federal é distribuído de maneira proporcional, como nas eleições oficiais. São Paulo, por exemplo, que tem o maior número de deputados na Casa, recebe 11 parlamentares jovens, enquanto o Espírito Santo seleciona dois.

Ver comentários