Notícia

Ensino Médio: Notas e aprovação colocam Estado no topo

Apesar de estar bem em ranking, Espírito Santo não atingiu meta

Foto: shutterstock

Uma melhora no rendimento dos alunos aliada ao aumento da taxa de aprovação colocaram o Espírito Santo no topo do ranking dos melhores do Brasil no ensino médio. É o que aponta o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgado na segunda-feira (03) pelo Ministério da Educação.

O Estado obteve nota 4,4 na análise que considera escolas públicas e privadas. Mas mesmo na liderança, não atingiu a meta estipulada para este ano, que era de 5,1. Quando são consideradas apenas as instituições públicas, o Estado fica em segundo no Brasil, com Ideb de 4,1. A meta, neste caso, era 4,4.

Leia também

O Secretário de Estado da Educação, Haroldo Rocha, diz que essa foi a primeira vez que o Espírito Santo atingiu o primeiro lugar na avaliação, que é feita a cada dois anos. Ele afirma que o governo trabalha para alcançar a meta, mas culpa quedas anteriores. “Não chegamos à meta, mas ficamos perto. Caímos dois biênios anos seguidos, e isso com certeza nos atrasou. Agora, não podemos parar de trabalhar senão cai de novo”, afirmou.

PROGRAMAS

De forma geral, o secretário atribui a melhora do ensino médio estadual aos diversos programas como a Escola Viva e o Jovem do Futuro, aliados ao uso de tecnologias e uma atenção especial aos alunos com dificuldade. “Se olharmos os outros Estados, vemos que o Espírito Santo é o que mais cresceu nessa década em aprendizagem. Algo diferente está sendo feito aqui e isso nos indica que estamos na direção certa”, afirmou.

O Ideb é considerado um indicador de qualidade dos ensinos fundamental e médio, abrangendo as redes pública e privada. Ele é formado por duas variáveis: a nota no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) – conhecida como Prova Brasil – e a taxa de aprovação. Um número é multiplicado pelo outro para formar o índice.

Considera-se que o Ideb mostra em que medida os estudantes estão aprendendo e passando de ano. Assim, para que o índice de uma escola ou rede cresça é preciso que o estudante aprenda, não repita o ano e frequente as aulas. O objetivo é que o Brasil tenha um Ideb médio de 6 no ensino médio até 2028.

APROVAÇÃO

Segundo o secretário de Educação, a alta na taxa de aprovação foi impulsionada pela queda no abandono escolar. Em 2014, 8,17% dos alunos abandonavam o ensino estadual. No ano passado, a taxa de abandono foi de 3,4%. No entanto, a reprovação ainda preocupa: em 2017, 12 mil alunos não passaram de ano. “O caminho é personalizar, tratamento especial a cada estudante de acordo com a sua necessidade”, ressaltou.

O ensino médio da rede estadual compreende 286 escolas e atende mais de 100 mil alunos.

Para o governador do Estado, Paulo Hartung, o resultado é “extraordinário”. “Não estamos comemorando o ponto de chegada, mas a caminhada que está sendo feita. No presente, queremos ser líderes no Brasil, mas nossa caminhada é para chegar ao nível das melhores instituições de ensino no mundo”, afirmou em coletiva.

RENDIMENTO

De acordo com a prova do Saeb, o Espírito Santo tem a melhor nota em termos de desempenho acadêmico dos estudantes. O crescimento do Estado foi de 10,5 pontos em Matemática e de 6,2 pontos em Língua Portuguesa. Pela primeira vez o Estado lidera nas duas disciplinas, alcançando a melhor proficiência no ensino médio.

ANOS ANTERIORES

Nos últimos dez anos, o pior desempenho do Espírito Santo no Ideb no ensino médio foi em 2011. Na ocasião, com nota 3,6, o Estado chegou a ficar na 14ª posição no país.

Desde então, vem avançando no ranking: subiu para 9º lugar em 2013 e 3º em 2015.

Ver comentários