Notícia

Homem-Aranha que atacava em Vitória é solto sem cumprir total da pena

Condenado a 4 anos e 9 meses de prisão, Jilsemar Santana, que escalava os prédios de Jardim Penha para roubar, foi solto em agosto. Agora foi visto pedindo dinheiro em um semáforo da Praia do Canto

Jilsemar Oliveira Santana foi colocado em liberdade pela Justiça mais uma vez
Jilsemar Oliveira Santana foi colocado em liberdade pela Justiça mais uma vez
Foto: Carlos Alberto Silva

Um ano, dois meses e oito dias. Foi este o tempo em que Jilsemar Santana -  o homem-aranha que escalava os prédios de Jardim Penha para roubar - ficou preso. Por decisão da Justiça, ele foi liberado há cerca de um mês, no dia 22 de agosto, conforme confirmou a Secretaria de Justiça (Sejus). Solto, Jilsemar foi visto na noite desta segunda-feira (17) em uma movimentada avenida da Praia do Canto, em Vitória. Ele pedia dinheiro em um semáforo.

UM TEMA, DUAS VISÕES | A polícia prende e a Justiça solta?

Enquanto pedia dinheiro no sinal, o homem-aranha foi reconhecido por um internauta que fez questão de registrar a cena em vídeo. "É aquele bandido que escalava os prédios de Jardim da Penha e assaltava. Ele foi preso três vezes, agora está solto e fica aqui no sinal do Mc Donald's pedindo moeda. Essa é a rotina dele, geralmente comete os delitos de madrugada", diz o internauta, indignado, que preferiu não se identificar.

TRÊS PASSAGENS PELA JUSTIÇA ATÉ 2017

Quando foi preso pela última vez, em flagrante, no dia 12 de junho de 2017, Jilsemar já colecionava três passagens pela Justiça, todas por crime contra o patrimônio. Posto em liberdade, o homem-aranha voltava a entrar nas residências e cometer o mesmo tipo de crime.

Em julho do ano passado, depois de ser preso, ele chegou a ser condenado a quatro anos e nove meses de prisão por um roubo cometido em 2015, em decisão da juíza Gisele Souza de Oliveira, da 4ª Vara Criminal de Vitória. Segundo os autos, o acusado escalou três andares de um prédio no bairro Jardim da Penha e entrou em um apartamento. A proprietária estava dormindo e acordou quando o ladrão pegava dois relógios de pulso dela, que estavam sobre a mesinha de cabeceira.

VÍTIMA TEVE SÍNDROME DO PÂNICO APÓS TER CASA INVADIDA

Também no ano passado, uma reportagem especial da Rádio CBN Vitória conversou com uma moradora de Jardim da Penha que foi vítima de Jilsemar. Ela conta que o bandido cortou a rede de proteção da janela da área de serviço para entrar no apartamento dela.

"Moro no segundo andar, ele entrou levantando o portão da garagem. Pegou a lata de lixo, subiu por ela, entrou no apartamento do meu vizinho de frente, no segundo andar. Meu vizinho não estava em casa, estava viajando, e ele levou alguns pertences e uma mochila. Pegou uma faca no apartamento do vizinho, veio no meu aparatamento, cortou a tela de proteção da área de serviço e entrou", contou.

Sem se identificar, a mulher afirmou ter adquirido depressão e síndrome do pânico após a invasão do homem-aranha na casa dela (ouça áudio abaixo).

"Tenho uma filha de quatro anos, e ele foi na cabeceira da cama dela. Foi o que me deixou mais abalada. Se ele fizesse qualquer coisa com meu filho, tenho um menino de 16, acho que ele reagiria, daria um empurrão, meu esposo e eu também, mas minha filha de quatro anos ele poderia ter feito qualquer coisa com ela, até feito de refém. Realmente até hoje eu estou colhendo alguns frutos amargos", disse à reportagem na época. 

 

 

 

 

Ver comentários