Notícia

Namorada velou corpo na data em que seria pedida em casamento

Arthur Medici morreu no último sábado (15), em Massachusetts, nos Estados Unidos, enquanto surfava com seu cunhado Isaac Rocha

Emily e Arthur pretendiam se casar no ano que vem
Emily e Arthur pretendiam se casar no ano que vem
Foto: Acervo Pessoal

"Arthur era um homem corajoso, amoroso, altruísta e que se preocupava com todos", disse ao Gazeta Online a norte-americana Emily Rocha, de 23 anos, namorada do capixaba Arthur Medici, de 26, que morreu no último sábado (15) vítima de um ataque de tubarão ocasionado na baía de Cape Cod, em Massachusetts, nos Estados Unidos.

Sete dias após o acidente, Emily revela que ela e Arthur planejavam se casar no ano que vem. O pedido seria feito oficialmente na última quarta (19), data em que o corpo do capixaba era velado na Igreja Metodista Unida da Família - Ministério do Brasil, localizada na cidade de Revere, na região de Boston.

Emilly Rocha, que está à base de remédios e não teve condições de vir ao Brasil para acompanhar o sepultamento, disse que ela e Arthur já vinham conversando sobre o possível casamento. Descobriu depois, através de familiares, que o namorado, inclusive, já havia comprado um par de alianças.

Arthur passava a maior parte do tempo ao lado da família da namorada
Arthur passava a maior parte do tempo ao lado da família da namorada
Foto: Acervo Pessoal

"Ele adorava esportes, cantava e tocava violão. Também amava sua família e fazia todos ao seu redor rir. O Arthur havia acabado de começar sua caminhada na presença do Senhor, porém, já entendia coisas que até hoje ainda estou tentando aprender. Era realmente iluminado por Deus. Conversamos sobre casamento, constituição de um lar e iríamos fazer isso no ano que vem", comentou Emily.

> Pai faz despedida emocionante para filho morto por ataque de tubarão

Arthur também teria dito à namorada durante uma conversa, segundo a mãe de Emily, Neia Rocha, que "ele não conseguiria viver sem a amada e que preferiria morrer antes dela", relata Neia. "Ele era um filho para nós e sabia que poderia contar com nossa família para o que precisasse. Como jantava em nossa casa regularmente, na mesa havia seis cadeiras. Agora, há um lugar que está vazio."

Arthur e Isaac, irmão de Emily, eram melhores amigos
Arthur e Isaac, irmão de Emily, eram melhores amigos
Foto: Acervo Pessoal

Cleverson Rocha, que era pastor de Arthur na igreja em Boston e sogro, destacou que o jovem capixaba ficará marcado por seu carisma, fé e riso.

"Sua risada podia ser ouvida do outro lado da sala. Agora, estamos sentindo a falta dele", comentou Cleverson, que também fez questão de destacar a "vida espiritual" do jovem: "Quando o Arthur começou a frequentar a igreja, ele não conhecia bem sua fé. Deus fez uma grande transformação em sua vida. Ele era servo do Senhor. Sou grato pelo pouco tempo que Deus me deu o Arthur como filho", relatou.

A cunhada de Arthur, Alyssa Rocha, de 18 anos, explica que o jovem tinha como hobby tocar violão e cantar - era tenor. De acordo com Alyssa, o capixaba havia se batizado na igreja em julho de 2017 e no último mês conseguiu cantar seu primeiro louvor solo, momento que o deixou eufórico.

> Capixaba é velado em igreja de Vila Velha

"Durante o ensaio do louvor, que estávamos preparando na igreja, eu estava bastante nervosa porque iríamos cantar juntos e ele que me passou tranquilidade. O louvor que cantamos foi o "Molda-me, Senhor", que era o louvor que ele mais gostava de cantar", relata.

VEJA VÍDEO

Toma-me Senhor em Tuas Mãos / Sara as feridas do viver / Mostra-me o caminho a seguir / para que eu veja o Teu poder / Quero em Teus braços sempre estar / Quero a tua face contemplar

Arthur é o de blusa azul, de costas. Gravação foi feita duas semanas antes da morte do jovem.

 

Para representar a família Rocha na cerimônia fúnebre que acontecerá na manhã deste sábado (22), em Vila Velha, o irmão de Emily, Isaac, que estava com Arthur no momento em que ele foi atacado pelo tubarão, veio ao Brasil para acompanhar o sepultamento.

SEPULTAMENTO NO SÁBADO E HOMENAGEM NO DOMINGO

Neste sábado (22), às 10 horas, será celebrado um culto na Igreja Cristã Maranata de Vila Velha I, no centro da cidade. O enterro acontece também no sábado, no Cemitério Municipal de Vila Velha, localizado na rua Coronel Sodré.

> FOTOJORNALISMO | A chegada do corpo

No domingo (23), ao meio dia, amigos surfistas e do bodyboard, farão uma homenagem a Arthur na Praia da Pompeia, em Itaparica, onde o jovem costumava pegar ondas na época em que residia no Estado.

Ver comentários