Notícia

Secretário de Saúde da Serra é exonerado

Benício Farley Santos pediu exoneração quase um mês após uma declaração polêmica sobre servidores da Serra; ele alega que fez o pedido por motivos pessoais

Foto: Fernando Madeira

O secretário de Saúde da Serra, Benício Farley Santos, foi exonerado do cargo nesta quarta-feira (5) quase um mês após uma declaração polêmica que ele teria dado a um veículo de comunicação sobre funcionários do município que não tinham condições de trabalhar devido ao "alto estado de embriaguez". Benício nega que a exoneração se deva à repercussão e diz que pediu para sair porque recebeu uma proposta de trabalho na área privada.

A declaração que o secretário nega ter dado foi publicada no jornal Tribuna do Povo, da Federação das Associações de Moradores da Serra, na edição de junho. Segundo a publicação, um diagnóstico feito pela prefeitura detectou muitos desafios urgentes nas Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) e maternidade.

“Identificamos o não cumprimento de carga horária, durante a passagem de plantão. O servidor ao invés de começar o atendimento, primeiro vai dormir, tomar café, assistir jornal e novela. Desta forma, deveria chegar às 7h, mas, na realidade, efetivamente começa às 8h. Há casos em que um servidor chegou sem condições nenhuma para trabalhar, devido a alto estado de embriaguez. Um outro caso, a situação de cansaço físico, devido estar trabalhando há 36 horas. No horário de almoço, o plantonista vai almoçar em casa, e demora de 3 a 4 horas”, teria afirmado o secretário na publicação.

Leia também

Na reportagem, em relação à possibilidade de terceirização das unidades de saúde, Benício ainda teria afirmado que “não iria ter problemas com funcionários de férias e faltosos, com os que apresentam muitos atestados, com o que não gostam de se relacionar, isso porque haveria um processo de avaliação de cada servidor”.

Na época do caso, o Sindicato dos Médicos do Espírito Santo (Simes) informou que iria entrar na Justiça contra o secretário. Os servidores da Serra também chegaram a emitir uma nota de repúdio contra Benício. A presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Espírito Santo (Sindienfermeiros-ES), Andressa Barcelos, destacou que a administração municipal poderia ter aberto processos administrativos e sindicâncias para responsabilizar os servidores dos casos citados.

MOTIVOS PESSOAIS

Na noite desta quarta-feira (5), a reportagem do Gazeta Online entrou em contato com o secretário, que informou que as notícias veiculadas no jornal são falsas. "Eu não dei declaração nenhuma, não dei entrevista para nenhum jornal. Esse jornal nem existe. A matéria é mentirosa", disse. Ele também afirmou que o motivo da exoneração é por motivos pessoais. "Eu pedi a exoneração porque surgiu uma nova oportunidade pra mim, na área privada", finalizou.

Em nota, a Prefeitura da Serra informou que quem assume interinamente a Secretaria de Saúde da Serra é Alexandre Camilo Fernandes Viana.

Ver comentários