Notícia

Vitória é a mais inteligente entre as cidades com até 500 mil habitantes

No geral do ranking nacional divulgado,o município ficouem terceiro lugar

Praia de Camburi, na Capital: mobilidade,  meio ambiente e tecnologia estão entre os itens avaliados
Praia de Camburi, na Capital: mobilidade, meio ambiente e tecnologia estão entre os itens avaliados
Foto: Fernando Madeira

A cidade de Vitória é a mais inteligente do país, entre municípios com até 500 mil habitantes. A capital conquistou ainda a primeira colocação nas áreas de Educação e Saúde. O desempenho foi apontado no Ranking Connected Smart Cities 2018, divulgado ontem em São Paulo.

Entre as cerca de 700 cidades participantes, Vitória ficou em terceiro lugar geral, atrás apenas de Curitiba (PR) e de São Paulo, um avanço de duas posições em relação à última edição. “Estamos atrás por enquanto. Nossa atenção com o uso da tecnologia é enorme ”, ressalta o prefeito Luciano Rezende, que participou da abertura do evento em que foram apresentados os vencedores.

Leia também

O ranking é resultado de um estudo sobre cidades inteligentes no país e tem como objetivo definir as que apresentam maior potencial de desenvolvimento. Para a classificação, são avaliados indicadores de 11 principais setores, entre os quais mobilidade, meio ambiente, energia, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde e segurança.

“A cidade inteligente usa menos recursos e presta melhores serviços a quem precisa”, valoriza o prefeito.

Rezende cita como exemplo o agendamento on-line, “um exterminador de filas” segundo ele, que permite ao usuário da rede municipal de saúde marcar e desmarcar consultas pela internet.

“Costumo usar a seguinte expressão: os governos hoje têm que ser RETO (Rápido, Eficiente, Transparente e On-line). Na hora em que se torna on-line, consegue atingir milhares de pessoas, que estão cada vez mais conectadas”, afirma.

SERVIÇOS

O subsecretário de Tecnologia da Informação, Márcio Passos, destaca que o município de Vitória tem inúmeros serviços online, que facilitam a vida dos usuários, e relaciona quatro das áreas que considera fundamentais. Em saúde, Passos reforça a criação do agendamento, indicando que, além de ajudar os pacientes, contribuiu para a redução de despesas. Isso porque, antes do serviço, havia cerca de 35% de faltas às consultas. Esse índice baixou para 16% em três meses, o que vai permitir uma economia estimada na ordem de R$ 30 milhões por ano.

Em educação, entre outros serviços, houve informatização das unidades de ensino que, na avaliação de Passos, democratizou o acesso ao acabar com filas e sorteios de vagas. Na área de segurança, o subsecretário aponta o cerco inteligente. “Essa ação é um divisor de águas na segurança do município. Desde a sua implantação, já reduziu em quase 60% o furto de veículos e, consequentemente, outros crimes também vão diminuindo”, diz.

Além dessas três áreas, Passos afirma que a mobilidade também é beneficiada com iniciativas tecnológicas, como a digitalização dos semáforos, cujo objetivo é criar uma “onda verde” nas vias da cidade.

RANKING

Cidades inteligentes

Vitória

A capital capixaba ficou em primeiro lugar entre os municípios com até 500 mil habitantes; e também com a primeira colocação nas áreas de educação e saúde. No ranking geral, entre 700, Vitória obteve o 3º melhor desempenho, atrás de Curitiba (PR) e São Paulo, um avanço de duas posições em relação à última edição.

Indicadores

Eixos temáticos

No estudo, foram analisados 70 indicadores referentes à Economia, Educação, Empreendedorismo, Energia, Governança, Meio Ambiente, Mobilidade, Saúde, Segurança, Tecnologia e Inovação e Urbanismo

Ranking

Análise

O estudo foi feito pela Urban Systems, que desenvolveu a plataforma do ranking, em parceria com a Sator. Além do resultado geral, o desempenho é apurado por faixa populacional, região e eixo temático.

PAIS PODEM AVALIAR MERENDA DOS FILHOS

Dentro dessa proposta de se tornar uma cidade cada vez mais inteligente, a tecnologia é ferramenta indispensável, inclusive para avaliação dos serviços. Assim como a saúde já recebe notas dos usuários, a merenda escolar passa a ser objeto de análise de pais de alunos.

A avaliação começou ontem, quando pais e responsáveis pelas crianças passaram a receber mensagem pelo celular com a seguinte pergunta: “Qual a sua satisfação com alimentação escolar ofertada para seu filho na rede municipal de ensino? Dê nota de 0 a 10”.

A proposta é que, com base nas respostas, possam ser feitas as intervenções necessárias para melhorar a qualidade da alimentação nas escolas. “A avaliação da merenda de Vitória já é altíssima; inclusive já recebemos delegação de outros países para conhecer o serviço. Mas é importante ouvir os pais e, onde se faz avaliação, a gestão melhora. Precisamos de parâmetros concretos”, observa o prefeito Luciano Rezende.

Ainda não há uma periodicidade definida para o envio das mensagens às famílias dos alunos, mas o subsecretário de Tecnologia da Informação, Márcio Passos, afirma que a ideia é seguir o modelo adotado na saúde. “Quando começamos as avaliações, duas unidades se destacaram. Então, fomos ver o que estavam fazendo para replicar as melhores práticas nas demais”, conta.

Além da merenda escolar, Passos disse que o sistema de avaliação da educação deve ser estendido para outros serviços, mas o processo ainda está em análise.

Ver comentários