Notícia

Nova proposta de barreira de proteção na Terceira Ponte é apresentada

Contribuição recebida durante Consulta Pública realizada pela Agência de Regulação de Serviços Públicos (Arsp) passará por estudos técnicos

A Agência de Regulação de Serviços Públicos (Arsp) divulgou nesta quinta-feira (11) o relatório com as contribuições recebidas durante a Consulta Pública realizada entre os dias 17 de setembro e 02 de outubro para melhorias no projeto de implantação da barreira de proteção contra suicídio na Terceira Ponte.

Uma das contribuições, segundo a Arsp, preservou a funcionalidade necessária à proteção dos usuários, ostentando potencial de ganho de qualidade estética, motivo pelo qual a Agência decidiu por aprofundar os estudos sobre sua viabilidade técnica (ancoragem, estrutura material, cronograma de execução, segurança, dentre outros) e viabilidade financeira, sem prejuízo para a continuidade dos estudos que já estão em curso com relação às barras verticais com cremalheira.

 A proposta foi baseada no sistema de segurança da segunda ponte que mais ocorre suicídios no mundo - a Golden Gate, de San Francisco (EUA). A altura entre a mureta e a base da tela abaixo dela é de 3 m. A distância entre a ponte e a outra ponta da estrutura seria de 2,30m, como explica a Clara Nahas, uma das arquitetas sócias do escritório que apresentou a proposta. "O que a gente desenhou foi uma estrutura que estivesse a uma distância que a pessoa não conseguisse pular e vazar da estrutura. Se ela cair ali ela será resgatada sem problemas de mobilidade urbana", comenta Clara, sócia do escritório Angatu. Nathan Guimarães, Juliano Pinto e Rovena Daher são os outros profissionais que trabalharam na concepção da proposta.

> Confira as 39 contribuições recebidas pela Consulta Pública

PRÓXIMOS PASSOS

Na próxima segunda-feira (15), a Arsp encaminhará ao Departamento de Estradas e Rodagens do Espírito Santo (DER-ES) o projeto de engenharia relativo à solução pré-selecionada, de modo que a autarquia possa aperfeiçoar o projeto em seus aspectos técnicos.

Durante este período de trabalhos internos do DER-ES, a Arsp avançará nos estudos técnicos relativos à contribuição escolhida. Até o final do mês de novembro, o Governo do Estado decidirá por licitar a opção com barras verticais, divulgada no dia 11 de setembro (veja fotos abaixo), ou opção resultante da Consulta Pública, com estrutura lateral rebaixada. Em todo caso, a licitação deverá ocorrer ainda no ano de 2018.

PROTEÇÃO ELETRIFICADA

Apesar de ter recebido algumas contribuições solicitando a instalação de proteção eletrificada ou serpentina diretamente sobre a estrutura de guarda-corpo, existente, a Arsp descartou tais alternativas, tendo em vista o risco de que as estruturas acarretem acidentes e exponham pedestres à insegurança física, sobretudo durante eventos desportivos e exercidos de direito de reunião.

CICLOVIAS

Segundo a Arsp, também houve sugestão para instalação de ciclovias, o que encontrou impedimentos técnicos, uma vez que a Ponte possui forte influência de ventos laterais, além de inclinação de 5.5% com extensão de mais de 1km no sentido Vitória — Vila Velha (característica semelhante aquela presente na região de Domingos Martins), o que exigiria demasiado esforço físico para eventuais ciclistas no local, resultando na subutilização do equipamento em face de um investimento significativo, informa o relatório

Com informações de Caíque Verli

Ver comentários