Notícia

Rede Gazeta conclui 21ª edição do Curso de Residência em Jornalismo

Formatura marcou o fim da imersão de três meses dos 15 jovens profissionais

Residentes exibem os certificados de conclusão do curso: jovens profissionais estão prontos para o mercado
Residentes exibem os certificados de conclusão do curso: jovens profissionais estão prontos para o mercado
Foto: Ricardo Medeiros

Depois de mais de 200 matérias publicadas, mais de 20 palestras, cobertura das Eleições 2018, Enem e até Encontro de Lideranças, os 15 residentes se despediram na sexta-feira (30) do 21º Curso de Residência em Jornalismo da Rede Gazeta, com a formatura no Auditório da empresa, em Vitória.

Foram três meses acompanhando as redações e veículos da Rede. O resultado final é o caderno especial que sai no domingo em A GAZETA. O tema da publicação é “Violência contra a mulheres”.

Leia também

A diretora de Transformação da Rede Gazeta, Letícia Lindenberg, acompanhou todas as edições da Residência. “O curso é extremamente importante, tanto para a formação do aluno quanto para a própria empresa, uma vez que se mostra como um caça-talentos”, diz.

Para a gerente de Relações Institucionais da empresa e coordenadora do Curso, Desiery Marchini, esta 21ª edição foi bem produtiva. “Eles tiveram muito trabalho e a entrega foi muito satisfatória. A presença de residentes de outros estados também foi um ganho muito grande e proporcionou uma troca de experiências muito bacana”, afirma.

A jornalista Sara Aguiar é quem acompanha os residentes de perto no dia a dia e se emociona ao falar do curso. “Falar de Residência faz passar um filme na minha cabeça. Todo ano, o curso traz muito aprendizado para mim, como jornalista e até como mãe. Para mim é incrível, porque acompanho de muito perto a rotina, alegrias, angústias. Eu os vejo chegarem temerosos e depois saem mais donos de si e seguros”, refletiu.

RESIDENTES

Para a residente Bruna Littig, a Residência vem como parte complementar prática do exercício de jornalismo. “É, sem dúvida, uma experiência única e cheia de frio na barriga (risos). Os desafios são diários nas diferentes editorias. Na faculdade temos a teoria e aqui a gente vive o dia a dia de uma redação. Isso enriquece muito”, destaca.

Já Igor Santos, que já havia trabalhado em redação anteriormente, teve sua bagagem extremamente enriquecida pelo curso. “O que fica é muita experiência e amadurecimento profissional. Sem dúvidas, me sinto mais preparado para o mercado”, diz.

Ver comentários