Notícia

Ranking: as melhores faculdades e universidades do Espírito Santo

O balanço foi divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) nesta terça-feira (18); veja tabelas com o ranking

Pelo oitavo ano consecutivo, a Fucape desponta entre as 10 instituições de ensino superior mais bem avaliadas no país. Na edição de 2017 do Índice Geral de Cursos (IGC), divulgada pelo Ministério da Educação (MEC) nesta terça-feira (18), a faculdade capixaba aparece em primeiro lugar no Espírito Santo e 7º no Brasil. (Veja lista completa abaixo)

O IGC é calculado pela média do Conceito Preliminar de Curso (CPC) dos últimos três anos, além de conceitos de avaliação nos programas de pós graduação e distribuição dos alunos entre os diferentes níveis de ensino. A Fucape obteve 5 no IGC, conceito máximo concedido pelo Ministério da Educação (MEC). Para um dos fundadores da instituição e diretor-presidente, Valcemiro Nossa, a posição da faculdade é resultado de um trabalho focado na excelência.

“Tudo que a gente vem desenvolvendo na Fucape desde o seu início, há 18 anos, é entregar resultados de excelência. Delimitamos uma área de atuação - negócios - e estabelecemos pilares”, conta.

Um dos pilares é a corpo docente que, hoje em dia, tem cerca de 85% com doutorado, alto nível de pesquisa e todos fazendo publicações em revistas científicas.

 (da esq. para a dir.) José Tejeda, Edvan Soares, Patricia Motoki, e Lara Christ Bonella são alunos da Fucape. A  faculdade foi classificada como uma das melhores do país
(da esq. para a dir.) José Tejeda, Edvan Soares, Patricia Motoki, e Lara Christ Bonella são alunos da Fucape. A faculdade foi classificada como uma das melhores do país
Foto: Carlos Alberto Silva

CONTEÚDO

Outro ponto é o conteúdo que, segundo Valcemiro, desde a concepção dos cursos foi baseado nas demandas do mercado e com um modelo de currículo sugerido pela Organização das Nações Unidas (ONU). Mais um aspecto que destaca é a internacionalização, com intercâmbio de estudantes indo para outros países e a Fucape recebendo estrangeiros. “Além disso, tem a inovação, que a gente s sempre tenta buscar e todo ano elege um projeto para ser desenvolvido”, aponta.

A estudante de mestrado em Administração, Patrícia Motoki, 34, afirma que os alunos também aproveitam dos bons resultados obtidos pela instituição. “A Fucape sempre aparece na frente. Isos é bom tanto para a instituição quanto para quem estuda lá”, diz.

A unidade da Multivix em Castelo também obteve conceito 5 no IGC, ficando em segundo lugar no Estado e 30º no país. “Esse é um resultado que reflete a seriedade do grupo Multivix, que busca incessantemente a educação de qualidade, através da meritocracia e da responsabilidade com a sociedade capixaba. Ter seis faculdades Multivix entre as 11 melhores do ES é motivo de muito orgulho e satisfação. Parabenizamos principalmente os nossos alunos, que são nosso tesouro, e nosso corpo docente, altamente qualificado e comprometido”, valoriza Tadeu Penina, diretor-executivo do grupo.

A instituição de ensino que mais se destacou no país é a FGV, que aparece nos três primeiro lugares. Entre as dez melhores também há o Instituto Militar de Engenharia (Ime) e a Unicamp.

RANKING DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO

A avaliação divulgada pelo Ministério da Educação (MEC) também mostrou que o Espírito Santo tem sete cursos com nota cinco (máxima). O número representa 2,8% dos cursos de graduação avaliados, pouco mais que a média nacional que é de 2,3% nesta faixa. 

O balanço é resultado do Conceito Preliminar de Cursos (CPC), um indicador de qualidade que avalia os cursos de graduação e que, entre outros elementos, reúne a nota do Exame Nacional de Desempenho de Estudante (Enade), infraestrutura e recursos pedagógicos das instituições. Nas duas edições, foram submetidos à prova estudantes de cursos de bacharelado em ciências exatas e licenciaturas, como Arquitetura, Engenharias e Letras, além de tecnólogos em controle de processos industriais, informação e comunicação, infraestrutura e produção industrial.

> 1ª edição do Sisu 2019 deve abrir mais de 235 mil vagas

De conceito 5, sete cursos foram contemplados: Ciências Biológicas e Ciência da Computação (ambos bacharelado) e Sistemas de Informação, da UVV; Pedagogia (licenciatura), da Multivix Vitória (identificada na tabela como Faculdade Brasileira); Engenharia de Produção, da UCL (identificada na tabela como Faculdade Centro Leste); Engenharia Ambiental, da Faesa (Faculdade Espirito Santense); e o Ifes, de Cachoeiro de Itapemirim.

Na opinião de Heraclito Amancio Pereira Junior, reitor da UVV, a universidade conseguiu a nota máxima em três cursos - e com Ciências Biológicas repetindo o resultado de 2014 - fruto de um trabalho incessante. "A área tecnológica teve um resultado muito bom, com um trabalho árduo, que não é de poucos anos. Um investimento contínuo na formação de professores e um processo muito forte para fazer com que a palavra inovação não seja apenas discurso, mas que esteja na prática diária", ressalta.

Para a professora de Engenharia Ambiental da Faesa, Maria Claudia Lima Couto, a equipe da instituição contribuiu para o bom desempenho. "São professores capacitados, que usam metodologia com foco no aluno e que fazem diferença no aprendizado", observa.

O corpo docente também é um aspecto que o coordenador do curso de Pedagogia da Multivix, Leandro Siqueira Lima, considera relevante para o resultado da faculdade. "Se não houvesse um bom grupo compreendendo a importância desse trabalho, seria difícil ter esse desempenho", avalia.

A Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) não teve cursos com nota 5 mas, dos 60 avaliados, 35 tiveram conceito 4, entre os quais o de Geografia. A estudante Juliana de Azevedo Rozendo Silva, 20, está no 5º período e acredita que a qualidade do curso está avançando porque há mais comprometimento, tanto da equipe pedagógica quanto dos alunos.

Já no curso de Engenharia Civil, o professor Patricio José Moreira Pires destaca a formação do corpo docente, cuja maioria tem doutorado, e as atividades práticas. "Nossa estrutura, embora seja antiga em termos de prédio, apresenta laboratórios de altíssima qualidade, o que faz diferença na formação dos alunos", sustenta.

 

Ver comentários