Notícia

Entenda como aconteceu acidente que matou chinês no Porto de Vitória

Tripulantes faziam procedimento para que embarcação pudesse receber carga de cobre; cabos que içavam placa se soltaram

Acidente aconteceu em porão de navio atracado no Porto de Vitória
Acidente aconteceu em porão de navio atracado no Porto de Vitória
Foto: Gazeta Online

Um tripulante chinês de 41 anos morreu e outro de 43 anos ficou ferido em um acidente em um navio atracado no Porto de Vitória, na tarde desta quinta-feira (10). O cargueiro Da Tai, de bandeira de Hong Kong, havia aportado no cais da Capital às 11h08 desta quinta e seguiria para o Rio de Janeiro.

De acordo com a Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), as vítimas foram identificadas como Yongan Zhang, que morreu no local, e Mengzhu Lai, que passa bem e foi encaminhado para o Hospital Meridional, em Cariacica. Ambos são de origem chinesa.

A embarcação asiática saiu do Porto de Munguba, no Pará. Às 11h08 atracou no Porto de Vitória para ser carregada com aproximadamente 11 mil toneladas de concentrado de cobre. O navio seguiria para o Porto do Açu, em São João da Barra (RJ).

Entre 16h40 e 17h, os dois tripulantes participavam de um procedimento de remoção do tampão do deque do porão e se acidentaram. Informações preliminares apontam que os cabos do guindaste que seguravam o tampão onde os tripulantes estavam se soltaram. Mengzhu Lai conseguiu pular da chapa de aço que estava içada e, com isso, se salvou. Já Yongan Zhang, caiu de uma altura superior a 20 metros.

Leia também

O estivador Carlos Vaguine, 47, que trabalha no Porto de Vitória há quase 30 anos, contou que se preparava para trabalhar no navio quando ouviu um barulho e viu uma movimentação de tripulantes na embarcação. “Eu saí correndo para ver o que tinha acontecido. Vi um homem morto no chão e um sentado, muito machucado”, disse.

Ele ainda afirmou que na hora em que o acidente ocorreu o navio começou a balançar. “O tampão é uma espécie de placa que pesa toneladas”, contou.

VEJA VÍDEOS

Vaguine explicou ainda que o serviço de retirada das tampas do porão é realizado pelos próprios tripulantes. “Todo o serviço é feito pela própria tripulação, para entregar o porão limpo para os estivadores embarcarem a carga”.

Socorro

Segundo o bombeiro civil Ivon Flávio da Costa, 40 anos, que ajudou no resgate de uma das vítimas, a primeira equipe a chegar ao local foi a Coordenação de Segurança do Trabalho e da Guarda Portuária, que saiu do Porto de Capuaba e deu início ao atendimento.

Acidente no Porto de Vitória na tarde desta quinta-feira
Acidente no Porto de Vitória na tarde desta quinta-feira
Foto: Internauta | Gazeta Online

Já de acordo com o Corpo de Bombeiros Militar, no momento em que a equipe chegou ao local, um dos tripulantes já estava morto e o outro se encontrava ferido e foi resgatado. O sobrevivente foi levado para o Hospital Meridional, em Cariacica, e está com estado de saúde estável mas sem previsão de alta.

O Hospital Meridional informou, por meio de nota, que o paciente Lai Mengzhu deu entrada no pronto socorro por volta das 19h20 de ontem.

Apenas por volta das 19h30, quase duas horas e meia após a queda, o corpo de Yongan Zhang foi retirado do navio e levado para o Departamento Médico Legal (DML). O navio continua atracado no porto e ainda não foi carregado.

Estiveram no local prestando atendimento e realizando perícias agentes da Polícia Federal, Receita Federal, Capitania dos Portos, Samu, Corpo de Bombeiros Militar, Delegacia Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) e da Codesa.

A Cosco, empresa proprietária do navio Da Tai, foi procurada pela reportagem para se pronunciar sobre o acidente, mas não houve retorno.

Resgate demorou quase uma hora para chegar ao navio

O portuário Carlos Vaguine, 47, disse que a ambulância que prestou o primeiro atendimento chegou quase uma hora após o acidente.

“A guarda da Codesa chegou, verificou e depois de mais ou menos quase uma hora a ambulância de resgate de socorristas da Codesa, que fica no Cais de Capuaba em Vila Velha, foi chamada de lá pra cá. Tudo atrasado”, disse.

Questionada sobre o atraso, a Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa) confirmou que o serviço de ambulância fica em Capuaba mas disse que não houve atraso no socorro já que ambulâncias de outros serviços também foram acionadas para o atendimento.

Em nota, a autoridade portuária afirmou também que “imediatamente as equipes da Coordenação de Segurança do Trabalho e da Guarda Portuária deram início ao atendimento”, e que “seis ambulâncias e dois veículos do corpo de bombeiros dão apoio ao resgate”.

Perícia: três dos quatro cabos que içavam placa se soltaram

Perícia feita pela polícia no navio Da Tai aponta que cabos que prendiam a tampa do deque do porão tenham se soltado e causado o acidente envolvendo dois tripulantes de uma embarcação asiática. Um das vítimas que estava sob o tampão caiu de uma altura de mais de 20 metros até chegar ao fundo do cargueiro. A outra conseguiu pular para uma estrutura ao lado.

De acordo com o chefe da Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) do Espírito Santo, José Lopes, trata-se de um acidente de trabalho. Yongan Zhang, 41 anos, e Mengzhu Lai, 43, estavam sob um tampão de metal do porão do navio atracado nesta quinta-feira (10) no cais comercial do Porto de Vitória.

> Linha do tempo mostra acidentes em navios e plataformas no ES

A tampa estava sendo içada por um guindaste para que, com sua remoção, o porão começasse a ser carregado de concentrado de cobre.

“Enquanto a placa era içada, três dos quatro cabos de aço que a prendiam se soltaram. Como cada uma delas segurava uma extremidade do tampão, a estrutura virou um pêndulo, suspenso apenas por uma das pontas”, explicou o delegado.

Ainda de acordo com o delegado, quando os primeiros cabos se soltaram, a estrutura virou de lado, e Mengzhu Lai conseguiu pular para o convés da embarcação. Segundo o chefe de polícia, ele teria machucado uma das pernas durante a queda.

Lopes também explicou que como Yongan Zhang não conseguiu pular, acabou caindo no fundo do porão, tendo múltiplas fraturas, como pernas e braço quebrados, e acabou morrendo no local.

Segundo um especialista do ramo de operação portuária, que preferiu não ser identificado, neste tipo de embarcação, a presença dos tripulantes em cima das placas é comum durante a retirada das tampas do porão, já que eles são responsáveis por engatar e desengatar as cintas que içam as estruturas pelo guindaste.

VEJA FOTOS

Investigações

A Marinha do Brasil (MB), por meio do Comando do 1º Distrito Naval, que esteve no local para apurar o acidente, disse por nota que a Capitania dos Portos do Espírito Santo (CPES) tomou conhecimento da ocorrência durante a tarde desta quinta. “Uma equipe de militares da CPES foi ao local para verificar o ocorrido. As causas e responsabilidades sobre o fato serão apuradas em inquérito a ser instaurado pela Marinha do Brasil”, disse.

Já a Polícia Federal, que também esteve no local, informou que como o navio estava atracado no Porto de Vitória, a investigação deve ficar por conta da Polícia Civil.

Por se tratar de um acidente de trabalho, a Superintendência Regional do Trabalho informou que vai iniciar uma investigação sobre o acidente nesta sexta-feira (11). (Com informações de Gabriela Singular e Giordany Bozzato)

LIBERAÇÃO DO CORPO

A Polícia Civil informou que a liberação do corpo da vítima do acidente do navio chinês pode ser feita pelo capitão responsável pela embarcação, que deve ir até o Departamento Médico Legal (DML) com a documentação de identificação do tripulante. O processo de translado do corpo fica a cargo de familiares ou dos responsáveis pelo pedido de liberação do trabalhador.

Ainda não há informações sobre como será feito o translado do corpo de Yongan Zhang do Espírito Santo para a Hong Kong, na China, local de origem do navio.

COMO ACONTECEU

ATRACAÇÃO

Embarque de cobre

Vindo do Pará, o cargueiro Da Tai, de bandeira de Hong Kong e de propriedade da Cosco, atracou no Cais Comercial de Vitória às 11h08 de ontem para ser carregado com 11 mil toneladas de concentrado de cobre.

PREPARO PARA CARGA

Abertura

Após a atracação, tripulantes do navio iniciaram a abertura das tampas do porão para os estivadores embarcarem a carga.

O ACIDENTE

Cabos soltaram

Entre 16h40 e 17h foi iniciado um procedimento para remoção de um dos tampões do deque do porão. O tampão estava sendo içado por um guindaste junto com os tripulantes Yongan Zhang, 41, e Mengzhu Lai, 43, quando cabos do guindaste se soltaram, segundo informações da Polícia Civil.

QUEDA E PULO

Reação

Mengzhu Lai conseguiu pular da chapa de aço que estava içada e se salvou da queda, ficando com alguns ferimentos. Já Yongan Zhang, caiu de uma altura superior a 20 metros no fundo do porão.

NAVIO BALANÇOU

Impacto

Testemunhas afirmaram que o navio chegou a balançar com a queda do tampão de metal, que pesa toneladas. 

RESGATE

Encontrado morto

A primeira equipe de resgate a chegar ao local foi a Coordenação de Segurança do Trabalho e da Guarda Portuária, que saiu do Porto de Capuaba e deu início ao atendimento. A segunda equipe foi do Corpo de Bombeiros Militar, que ao chegar ao local já encontrou Yongan Zhang morto. Apenas por volta das 19h30, quase duas horas e meia após a queda, o corpo foi retirado do navio e levado para o Departamento Médico Legal (DML).

SOBREVIVENTE

Levado ao hospital

Mengzhu Lai foi encontrado com muitos ferimentos e foi levado para o Hospital Meridional, em Cariacica. Ele está com estado de saúde estável mas sem previsão de alta.

Ver comentários