Notícia

Grupo de amigos capixabas vão ao Panamá para ver o Papa

Grupo participará da Jornada Mundial da Juventude, no país da América Central

Rômulo, Juliano, Aline e Venisson vão marcar presença na Jornada Mundial
Rômulo, Juliano, Aline e Venisson vão marcar presença na Jornada Mundial
Foto: Marcelo Prest

A fé e a vontade de chegar bem perto do Papa Francisco vão levar um grupo de amigos capixabas a se aventurar em terras panamenhas. Eles abriram mão de festas e compras para juntar dinheiro e participarem da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2019.

Quatro amigos embarcam na próxima semana para o Panamá, na América Central, onde acontecerá o evento que reúne milhares de jovens católicos do mundo inteiro.

A advogada Aline Lopes da Silva está ansiosa para ver o pontífice pela primeira vez. Com três amigos que moram na Grande Vitória, ela chega à América Central uma semana antes da JMJ para participar da pré-jornada, um evento missionário que antecede ao encontro de jovens.

"O Papa é uma inspiração de fé e de humildade para nós. Ele veio revolucionando esse tempo. A minha expectativa é ter uma experiência de fé e conseguir chegar bem perto dele”, destacou a capixaba, que estava planejando a viagem há aproximadamente um ano.

Em média, cada jovem capixaba desembolsou cerca de R$ 6 mil para arcar com os custos da inscrição do evento, hospedagem, alimentação e passagens aéreas.

Leia também

“É um momento único de troca de experiências, de conhecer outras culturas. Claro, a gente teve que sair menos, deixar de ir em alguns lugares e economizar (para pagar os custos da viagem para o Panamá), mas não tenho dúvida de que vale muito a pena”, reforçou o administrador Venison Bruno Silva, de 29 anos, que participará pela segunda vez de uma Jornada Mundial – a primeira foi aqui mesmo no Brasil, em 2013.

E para chegar perto do Papa Francisco e fazer valer a pena o investimento, os amigos prometem madrugar nos pontos onde o Papa deve marcar presença, carregando bandeiras do Espírito Santo.

“Vamos chegar bem cedo para conseguirmos ficar no alambrado, perto de onde o Papa deve ficar. Ficaremos atentos também às ruas que estarão interditadas porque devem ser por lá que o Santo Padre deve fazer o seu trajeto”, comentou o estudante de jornalismo Rômulo Benha, de 24 anos.

Seminarista, Juliano do Nascimento Machado, de 23 anos, quer levar a experiência da Jornada para sua vida sacerdotal.

“É importante ter esse encontro com culturas diferentes da minha”, pontuou Juliano, que está no terceiro dos nove anos de formação para ser ordenado padre.

O EVENTO

A Jornada Mundial da Juventude é um evento religioso criado pelo Papa João Paulo II em 20 de dezembro de 1985 e direcionado ao público jovem. A Jornada é realizada em uma cidade escolhida pelo Papa. Missas, palestras, shows, catequeses e adorações fazem parte da programação do evento, que dura uma semana. Em 2013, o Rio de Janeiro sediou a penúltima JMJ, a primeira depois que o Papa Francisco assumiu o comando da Igreja Católica. A última foi em Cracóvia, na Polônia, em 2016.

Na Jornada do Panamá, os atos centrais, aqueles que contarão com a presença do Papa Francisco, serão na Cinta Costera 1, um terreno na orla da Cidade do Panamá, que é a capital do país.

Antes, acontece a Pré-Jornada, uma espécie de semana missionária que antecede o encontro de jovens para que os jovens conheçam a realidade da região do país-sede. Os amigos capixabas, que atuam em setores da Igreja ligados ao jovem, também vão ao evento. “É uma oportunidade rica de estar em contato direto com esses jovens do Panamá, que vai nos receber”, frisou Aline.

O tema da JMJ no Panamá, que será celebrada de 22 a 27 de janeiro, é “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra", trecho de um dos livros da Bíblia, o Evangelho de Lucas, que, de acordo com a fé cristã, narra a resposta de Maria ao chamado de Deus para ser a mãe de Jesus Cristo.

Ver comentários