Notícia

Mau tempo mantém suspensas buscas por alpinista capixaba na Argentina

Fábio Fabre, que é bombeiro militar e amigo do capixaba Fabrício Amaral, informou ao Gazeta Online que uma equipe de socorristas estuda, a todo custo, o melhor momento para retomar a procura pelos alpinistas

À esquerda, Fabrício Amaral, 42 anos. Na viagem ele estava acompanhado do escalador mineiro Leandro Iannotta (foto à direita), conhecido como Mr Bean
À esquerda, Fabrício Amaral, 42 anos. Na viagem ele estava acompanhado do escalador mineiro Leandro Iannotta (foto à direita), conhecido como Mr Bean
Foto: Arquivo pessoal | Facebook

Por conta das condições climáticas desfavoráveis, as buscas pelo alpinista capixaba, Fabrício Amaral, de 42 anos, e pelo mineiro Leandro Iannota, conhecido como Mr. Bean, estão suspensas desde terça-feira (22). Fabrício e Leandro estão desaparecidos desde a última sexta-feira (18) no Monte Fitz Roy, na Argentina.

De acordo com Fábio Fabre, que é amigo do capixaba, uma equipe de socorristas estuda, a todo custo, o melhor momento para retomar a procura. "Infelizmente o mau tempo persiste. A ordem é só retomar as buscas depois que o tempo melhorar, e isso só deve acontecer nesta sexta-feira (25). Estamos todos destruídos com essa notícia", detalhou Fábio.

Em entrevista no Bom Dia ES na manhã desta quarta (23), o amigo do capixaba informou, ainda, que a hipótese levantada é de que Fabrício tenha levado suprimentos "de segurança", que devem se esgotar nesta sexta-feira. "São suposições, mas pelo que conheço do meu amigo, ele não levaria suprimento apenas até o dia 20; lá não é uma escalada que você deve levar somente o necessário. Temos esperanças que eles estejam fazendo um acampamento na montanha, esperando o socorro", disse.

> Sem novidades, amigos de alpinistas desaparecidos enviam energia positiva

Fábio explicou que, para realizar buscas, as equipes partem ao anoitecer, caminham durante toda a noite por um terreno muito perigoso e com várias fendas, e que algumas escaladas para acessar o local não são tão simples. "Durante essa caminhada, um escalador espanhol se acidentou; então, essa caminhada é feita durante toda a noite para que, no dia seguinte, se inicie a escalada propriamente do Fitz Roy", finalizou Fabre.

MONTE É FAMOSO POR SER DESAFIADOR

O monte Fitz Roy, localizado na fronteira do Chile com a Argentina, é conhecido por ser desafiador pelos alpinistas profissionais e considerado o maior desafio de todos no esporte. Isso porque as paredes são verticais o que requer técnicas impecáveis para serem conquistadas.

> Buscas por alpinista capixaba são suspensas no Monte Fitz Roy

De acordo com o blog de viagem "Para Onde Fomos", um aviso que fica na trilha especifica que a dificuldade para subir o monte é moderada/difícil. A distância, de acordo com o alerta, é de 10,2 quilômetros.

VEJA FOTO

Instruções para a trilha até o topo do Fitz Roy
Instruções para a trilha até o topo do Fitz Roy
Foto: Reprodução

O site explica, ainda, que a classificação da dificuldade não assusta os turistas, que povoam o caminho para o topo do monte. "No período de verão não é incomum criarem filas para ir ou voltar na trilha. Em uma ultima pesquisa, chegou-se ao número de 120 mil turistas por temporada", diz o blog.

Sobre as possibilidades de subida, existem duas: desde o centro da cidade ou a partir da Hosteria Pilar. A distância, segundo o "Para Onde Fomos", é a mesma, e o diferencial é de que a segunda opção se destaca por ter menos subidas. 

Ver comentários