Notícia

Na 5ª vez buscando vaga em Medicina, estudante tira nota mil na redação

Daniela Cardozo Lucas, 21, é uma dos 55 candidatos que tiveram o máximo de aproveitamento na redação do Enem

Daniela Cardozo Lucas  tinha medo da redação e ficou surpresa com a nota mil
Daniela Cardozo Lucas tinha medo da redação e ficou surpresa com a nota mil
Foto: Arquivo Pessoal

Você já superou seu maior medo hoje? A estudante Daniela Cardozo Lucas, 21, já! E em grande estilo: tirou nota 1.000 na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que teve os resultados divulgados nesta sexta (18). A moradora de Vitória é uma dos 55 candidatos que tiveram o máximo de aproveitamento na redação. “Era o meu maior medo no Enem”, diz. Agora, após a notícia, é só felicidade.

O tema da redação do Enem 2018, “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”, foi considerado difícil pela estudante, que fez o Enem pela quinta vez em busca do sonho de cursar Medicina. “Minha dificuldade não era a estrutura, mas ter repertório do tema. A redação era meu maior medo, pois sabia que nas questões eu tinha ido bem. Quando acordei, a nota já tinha saído. Não estou acreditando”, comemora.

Uma das dicas da estudante para se dar bem no Enem é resolver muitos exercícios, seja de edições passadas, seja de outros vestibulares e treinar os diferentes estilos de questões. “É bom reconhecer qual matéria tem mais dificuldade e focar nela. Exercício é fundamental”, complementa.

Na redação, Daniela acredita que há dois principais diferenciais para conseguir uma boa nota: elaborar um projeto de texto e acompanhar a coletânea. “Ela traz uma direção para o seu texto. Já o projeto deixa tudo alinhado”, recomenda.

Leia também

E a rotina de estudos para o Enem não se resumiu apenas às aulas no pré-vestibular. Além de estudar durante a tarde, faltando três meses para a prova, Daniela fez um curso com foco na redação. “Eu produzia dois textos por semana. Me ajudou bastante, pois nós tínhamos aula sobre eixo temático, então outra dica é também ficar por dentro da maior quantidade de temas”, diz.

Entretanto, mesmo com foco nos estudos, a estudante afirma que não se privou da vida social. “Isso faz mal para a mente. Nós precisamos saber nossos limites. Eu não conseguia ficar até a noite estudando o dia todo, então saía, tomava um sorvete, espairecia”, relata.

O sonho de se tornar médica é antigo, mas para onde o destino irá levá-la ainda é surpresa. Daniela vai aplicar a nota em duas universidades: a Ufes e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). “Estou confiante”, conta.

REDE ESTADUAL

A Secretaria de Estado da Educação informou que, até o fechamento desta reportagem, a nota a mais alta da rede estadual foi da Maria Isabella Marques Borgo, de Marechal Floriano, que estuda na Escola Estadual Victorio Bravim e fez 980.

Na Grande Vitória, a aluna da Renato Pacheco, Emilay Figueiredo, 18, conquistou 900 pontos. “Esse ano me interessei em educação financeira. Quero cursar Ciências Contábeis ou Econômicas”, almeja a estudante.

DEDICAÇÃO

 Julia Nitiz, estudante do Salesiano
Julia Nitiz, estudante do Salesiano
Foto: Carlos Alberto Silva

A capixaba Júlia Nitz, 18, quer cursar Direito e tirou 980 pontos na redação. Para ela, o segredo é não deixar para estudar apenas quando chegar ao terceiro ano. “É importante fazer muitos exercícios para treinar”, indica.

ESFORÇO

Davi Barcelos Ribeiro, estudante do Up
Davi Barcelos Ribeiro, estudante do Up
Foto: Carlos Alberto Silva

O estudante Davi Barcellos Ribeiro, 17, tirou nota alta no Enem e está confiante de que conseguirá passar em Medicina. “Eu me esforcei bastante e dei o meu melhor na prova. Minha principal vontade é aplicá-la na Ufes.”

SELEÇÃO DA UFES COMEÇA TERÇA E TERÁ MUDANÇA

A seleção da Ufes começa na próxima terça-feira, dia 22, e termina na próxima sexta, 25. Neste ano, porém, há mudanças na forma de ingresso na universidade. É que, neste ano, o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) será usado em dois momentos. “Vamos usá-lo para os cursos que têm entrada em março e depois, na segunda dição, que ocorre no meio do ano, para cursos com entrada na metade do semestre”, explica a pró-reitora de graduação da Ufes, Zenólia Cristina. 

Ao todo, serão ofertadas 4.960 vagas. Nos 63 cursos que têm ingresso no primeiro semestre, são disponibilizadas 2776. Já para graduações com edital do meio do ano, são oferecidas 2.184. A pró-reitora destaca que, no site sisu.ufes.br o aluno pode conferir os cursos oferecidos na Ufes e as quantidade de vagas ofertadas em cada um. Além disso, o estudante encontra o termo de adesão.

SAIBA MAIS

UFES

Processo seletivo

Neste ano, há seleção em dois momentos: no início e no meio do ano.

Vagas

4.960

No primeiro semestre, são 2.776 vagas para os 63 cursos ofertados. No segundo, 2.184.

Acesso

No endereço eletrônico sisu.ufes.br o aluno confere mais informações sobre o processo.

 

 

Ver comentários