Notícia

Norte-Sul terá mão única em trecho da Serra

O prefeito da Serra Audifax Barcelos explicou a mudança na Rodovia Norte-Sul, que deve começar em abril, e falou sobre entregas do Hospital Infantil e UPA de Jacaraípe

Rodovia Norte-Sul, no trecho da Serra, será revertida em mão única
Rodovia Norte-Sul, no trecho da Serra, será revertida em mão única
Foto: Bernardo Coutinho/Arquivo

Uma das rodovias de maior circulação na Grande Vitória, a Norte-Sul terá mudanças significativas. Em abril, a Prefeitura da Serra deve dar início a obras que vão transformar um de seus trechos em mão única (no sentido Vitória-Serra), além de implantar uma ciclovia no mesmo local.

O trecho em questão vai da altura da entrada da ArcelorMittal Tubarão até o cruzamento com a ES 010. O anúncio foi feito ontem pelo prefeito do município, Audifax Barcelos.

As intervenções, que vão atingir cerca de 1,7 quilômetro de um total de 10 quilômetros de extensão da Norte-Sul, custarão aproximadamente R$ 10 milhões. Esses recursos, segundo a prefeitura, são provenientes de um financiamento aprovado junto à Caixa Econômica Federal. Os obras devem durar um ano, segundo estimativa da administração municipal, ou seja, serão entregues em abril de 2020.

A partir da mudança, os motoristas que saem de Laranjeiras pela Norte-Sul terão que passar pela Avenida Lourival Nunes, conhecida como rua da caixa d’água da Cesan, até a Avenida dos Metalúrgicos, para acessar a Norte-Sul novamente.

O projeto prevê três faixas de rolamento na rodovia e três na Avenida Lourival Nunes. Como atualmente a Norte-Sul tem quatro faixas e funciona em mão dupla, uma delas vai se transformar em ciclovia.

Audifax Barcelos afirma que a intervenção vai diminuir os congestionamentos da rodovia e aumentar a segurança de ciclistas e pedestres no trecho selecionado.

“A gente tem percebido um trânsito muito intenso nesse pedaço e entende que o sistema binário dará mais celeridade ao fluxo e segurança também à região. Isso porque vamos melhorar mais a sinalização da pista, que agora terá um espaço para passeio, com uma ciclovia. Será uma obra de grande impacto para a cidade e a Região Metropolitana”, reforçou Audifax.

Recursos

A proposta não é nova. Em 2017, a prefeitura anunciou que implantaria o sistema binário no trecho em 2018 e que estava em busca de recursos para realizar as modificações na pista. Um estudo do departamento de trânsito do município havia apontado a necessidade da alteração, mas a mudança esbarrou na questão financeira. O projeto chegou a ser apresentado para moradores da região de Jardim Limoeiro, que aprovaram a mudança.

O estudo mostrou ainda que as intervenções melhorariam o congestionamento no sentido Laranjeiras, com mais pistas de rolamento e a sincronia mais eficiente dos semáforos.

Além disso, daria mais segurança para os pedestres, que precisariam olhar apenas para um lado na hora de atravessar a rua. Agora, a prefeitura garante que já conseguiu o valor, de R$ 10 milhões, através de um financiamento da Caixa.

Serra vai ter maternidade com capacidade de 725 partos por mês

Com a promessa de reduzir a espera por atendimento na Serra, o prefeito Audifax Barcelos também anunciou a data prevista de entrega de duas unidades de saúde no município. A maior delas é o Hospital Materno Infantil, em Colina de Laranjeiras, que deve ser inaugurado entre dezembro de 2019 e o início de 2020.

Cerca de 8.700 gestantes e bebês vão ser atendidos anualmente no hospital, que terá 60 leitos maternos e 75 pediátricos. A estimativa é de que o número de partos chegue a 725 por mês.

A unidade está sendo construída em uma área de 25 mil metros quadrados. Serão atendidas gestantes de baixo e médio risco.

Outra obra é a construção da terceira Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Serra, em Castelândia, que vai oferecer atendimento a 9 mil pessoas da região de Jacaraípe. Segundo a prefeitura, a UPA deve ser entregue em julho deste ano e terá atendimento odontológico, exames radiológicos e laboratoriais, aplicação de medicamentos, farmácia, sala de urgência com leitos, salas de observação masculina e feminina e sala de observação infantil.

Ainda neste ano, a prefeitura dará início a uma mudança no modelo de gestão das UPAs, que vai começar pela unidade de Carapina. A ideia é de que as duas UPAs construídas e a em construção tenham a administração transferida para organizações sociais (OS). A implantação na UPA de Carapina está na fase de abertura das propostas para definição da OS. “O nosso foco é dar um atendimento de mais qualidade para o paciente, com mais agilidade”, afirma o prefeito da Serra.

Ver comentários