Notícia

A história de superação e realização de um sonho: cursar Medicina

Clayton Oliveira Vicente, 46 anos, voltou a estudar por incentivo da filha, que também quer fazer Medicina

Clayton comemorou aprovação no curso de Medicina da Ufes
Clayton comemorou aprovação no curso de Medicina da Ufes
Foto: Reprodução/Instagram

Clayton Oliveira Vicente, 46 anos, tem uma história de superação e de realização de um sonho. Baiano, de Vitória da Conquista, veio morar pela primeira vez em Vitória, capital do Espírito Santo, quando tinha 18 anos. Chegou ao Estado para estudar e tentar dar início a uma faculdade.Ele, que havia começado a cursar Engenharia Civil na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), sentiu que aquele não era o seu objetivo maior. Ele queria Medicina. E em 1995 foi aprovado na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes).

> Rafael Ilha anuncia série documental sobre sua vida: 'superação'

Apesar da paixão pelo curso, Clayton enfrentava problemas com o álcool. Ele bebia desde muito novo, tendo começado com 14 anos de idade. Somado ao vício, o jovem, à época, sofria com sintomas de depressão, o que fez com que abandonasse a faculdade. "Acabei não trancando o curso, abandonei quando tinha feito quatro semestres. Voltei para a Bahia, abri uma locadora de vídeos, casei e tive uma filha, a Stefanny. Isso mudou minha vida completamente", revelou.

REALIZANDO O SONHO

Foto: Marcelo Prest | GZ

Stefanny Gusmão Coutinho Vicente, 17 anos, motivou o pai a voltar a estudar. Foi assim que, em 2016, o homem tentou o Enem para sentir como era a experiência de fazer uma prova como essas atualmente. No ano seguinte, Clayton permitiu que a jovem viesse estudar em Vitória, onde recebeu bolsa de estudos em um colégio da capital e passou a morar com uma amiga para dividir despesas.

"Ao ver minha filha estudando, minha vontade de retomar o curso de medicina foi aumentando. Em 2017 juntei um dinheiro, mas era difícil para mim. No dia do Enem não tinha dinheiro nem para a conta de energia. Foi então que comecei a estudar sozinho com apostilas antigas, de 2010, e pela internet".

> Lais Souza publica vídeo em rede social em que aparece mexendo o tronco

Era chegado o Enem de 2017. Pai e filha se inscreveram. Mas Stefanny não atingiu a pontuação suficiente para ingressar no ensino superior. No entanto, esta foi a vez do pai ver seu sonho começar a ser realizado: Clayton obteve 808 pontos na Ufes e o ponto de corte havia sido 794 para medicina naquele ano.

"Passei em quarto lugar na Ufes, sem o auxílio do sistema de cotas. Com a pontuação poderia escolher entre 79 de 85 universidades pelo país. Agora estou no segundo ano do curso, aluguei uma casa em Vitória e estou esperando minha esposa, Michele, finalmente ser transferida para o Espírito Santo. Moraremos todos juntos aqui", narrou, por fim, realizado. 

Clayton passou em Medicina,  aos 45 anos
Clayton passou em Medicina, aos 45 anos
Foto: Instagram

PERFIL MOTIVACIONAL NAS REDES

Clayton Vicente, agora estudante de medicina, usa a conquista pessoal para motivar e incentivar outros tantos brasileiros, via redes sociais, a lutar pelos sonhos. As contas @meddad.ufes no Instagram e no Twitter, em uma junção da abreviatura "Med" com a palavra pai em inglês ("dad"), já fazem sucesso, trazem dicas e fotos de uma forma bem humorada.   

> Após 4º diploma, capixaba que vendia picolés ensina: "Mantenha a fé"

Ver comentários