Notícia

Barragens no ES não têm risco imediato de rompimento, diz agência

Afirmação é da Agência Estadual de Recursos Hídricos, que fez vistorias nas barragens; no entanto, aponta série de adequações a serem tomadas pelos responsáveis em prazo de 90 dias

As barragens de Duas Bocas, em Cariacica, a Santa Júlia e Alto Santa Júlia, em São Roque do Canaã, não correm risco imediato de rompimento. É o que garante a Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh), que divulgou nesta terça-feira (12) os resultados das vistorias realizadas nos últimos dias 29 e 30 de janeiro. No entanto, determinou uma série de medidas a serem tomadas nos próximos 90 dias pelos responsáveis das represas.

Essas três barragens constam no relatório da Agência Nacional de Águas (ANA) como vulneráveis e que podem ter risco de rompimento por apresentarem problemas estruturais como rachaduras e infiltrações. 

ADEQUAÇÕES NECESSÁRIAS

Duas Bocas | Cariacica

Barragem da represa de Duas Bocas, em Cariacica
Barragem da represa de Duas Bocas, em Cariacica
Foto: Fernando Madeira

Para a de Duas Bocas, em Cariacica, é necessário o controle de formigueiro, manutenção e reforço do barramento, limpeza dos drenos a fim de evitar acúmulo da água da chuva, monitoramento das saídas de água, plano de segurança e comunicação com a comunidade. 

Em matéria publicada pelo Gazeta Online no início do mês, vizinhos da represa disseram que nunca foram orientados sobre riscos. E embora a agência tivesse admitido, também no início do mês, que ninguém controlava a barragem de Duas Bocas, agora aponta a Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan) como responsável, uma vez que faz a captação da água para abastecimento dos bairros do entorno.

"Será feito um apoio da base da barragem - por fora e por baixo - para aumentar a segurança. Essa é uma obra que precisa ser planejada, orçada e licitada, mas não há risco imediato", explica presidente da companhia Cael Linhalis. A expectativa é de que o projeto e a licitação sejam iniciados em três meses.

Sobre o diálogo com a comunidade, a Cesan aformou que deve entrar em contato em breve com a população que vive no entorno da barragem de Duas Bocas para esclarecer as dúvidas e tranquilizar os moradores. "O plano de segurança pode demorar mais para ser feito, mas nós não vamos aguardar e já vamos começar a conversa com a comunidade, para tranquilizar quem mora ali esclarecer sobre o que pretendemos fazer nos próximos meses", afirmou.

No local, ainda devem ser feitos serviços considerados mais simples, como controle de formigueiros, limpeza de drenos para evitar acúmulo de água da chuva e monitoramento das saídas de água. Para essas ações, a Cesan terá prazo de 30 dias para conclusão.

Santa Júlia | Alto Santa Júlia

Barragem de Alto Santa Júlia, em janeiro deste ano, quando A GAZETA fez alerta
Barragem de Alto Santa Júlia, em janeiro deste ano, quando A GAZETA fez alerta
Foto: imagem tv gazeta

Para as duas barragens localizadas em São Roque do Canaã, as adequações que devem ser tomadas pela prefeitura da cidade são: plantio de grama sobre o solo das ombreiras a fim de evitar processos erosivos, monitorar, identificar a origem e impermeabilizar pontos de umidade no paramento e na crista, instalar estruturas de controle de nível, implementar gestão de segurança das barrar e o plano de segurança, além de criar canal de comunicação com a comunidade.