Notícia

Não há risco de desabamento no Fórum de Vila Velha, garante TJES

Presidente da Corte, desembargador Sérgio Gama esteve na unidade por duas vezes para verificar a situação

Presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo, desembargador Sérgio Gama
Presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo, desembargador Sérgio Gama
Foto: Assessoria de Imprensa e Comunicação TJES

As 30 escoras instaladas na garagem do Fórum de Vila Velha devem permanecer no local ao menos até o fim do ano. Mas a trinca que apareceu num dos pilares da estrutura não compromete o prédio, de acordo com o Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES). "O que podia ser feito o Tribunal fez", garante o presidente da Corte, desembargador Sérgio Gama, que também destaca que não há risco de desabamento da estrutura. As propostas comerciais de empresas que devem apresentar projetos para contornar o problema serão abertas no próximo dia 28. Ainda vai faltar o processo de licitação para a obra em si.

Numa perspectiva otimista, devido a trâmites legais e burocráticos, os trabalhos podem começar em outubro e serem encerrados no final do ano, avalia o secretário de Engenharia e Projetos do TJES, Wagner Oliveira Marques. Ele também ressalta que não foi possível uma contratação emergencial, pois os prazos legais são exíguos e pontua que não há risco de a estrutura ceder, como A GAZETA registrou no último sábado. "Não vai cair. Mas já que o processo de licitação demora, a escora é por precaução", afirma o secretário.

"Se a imprensa perguntar a advogados e a leigos se têm medo de transitar pelo fórum é lógico que eles vão dizer que têm. São leigos, como eu sou. A gente olha uma situação dessa e a tendência é dizer 'tenho preocupação com isso'. Minha preocupação como presidente do Tribunal foi tão grande que eu fui lá duas vezes. Infelizmente, nossa legislação é morosa e a gente não tem como apresentar uma solução imediatamente", afirma Sérgio Gama. 

Ele diz ainda que solicitou à Secretaria de Engenharia uma análise não apenas sobre a garagem, mas todo quanto a todo o edifício. "Vistoriamos o prédio inteiro e não tem nenhuma outra patologia", responde o secretário.

Teto de garagem do Fórum de Vila Velha é sustentado com vigas de madeira
Teto de garagem do Fórum de Vila Velha é sustentado com vigas de madeira
Foto: foto do leitor

EXTINTORES

Uma servidora chegou a dizer à reportagem de A GAZETA que temia permanecer no local também pela falta de extintores. Mas a Secretaria de Engenharia e Projetos esteve nesta segunda-feira (18) no fórum e fotografou extintores, hidrante de parede, iluminação de emergência, sinalização de rota de fuga e alarme de incêndio nos corredores.

TRINCA

A trinca apareceu em setembro do ano passado. A Defesa Civil de Vila Velha vistoriou o fórum em novembro e constatou, ainda de acordo com o TJES, que não há o risco de desabamento."A estrutura está estável e não há risco para os servidores, magistrados e população que frequentam o fórum", registra ainda o Tribunal, em nota.

O secretário de Engenharia e Projetos diz que vistoria o Fórum de Vila Velha mensalmente e que a fissura na garagem não sofreu nenhuma alteração até agora. Se isso ocorrer no futuro, antes da realização da obra que porá fim ao problema, parte do prédio pode ser esvaziada. "A estrutura toda do prédio não depende daquilo ali. É só o que está exatamente em cima, que é uma área de espera, perto da entrada principal do fórum e o salão do júri, e passaríamos a usar o do fórum da Prainha", prevê. Mas isso não está no radar hoje, devido à reiterada falta de risco.

PROBLEMA

O Fórum de Vila Velha foi inaugurado em 2011. A estrutura é, portanto, relativamente recente. A trinca na garagem surgiu devido a "ausência do neoprene entre o console e a laje do 2º pavimento (teto da garagem)". É um problema já desde a construção. O neoprene é um material similar à borracha.

 

Ver comentários