Notícia

Tragédia em Linhares: Justiça concede liberdade ao pai do menino Kauã

O empresário Rainy Butkovsky havia sido preso após ameaçar e desacatar um juiz, do lado de fora do Fórum de Linhares

Tragédia em Linhares: pai de Kauã é preso após audiência
Tragédia em Linhares: pai de Kauã é preso após audiência
Foto: Leonardo Goliver

Os advogados de defesa de Rainy Butkovsky conseguiram uma liminar na tarde desta sexta-feira (22), que permitirá ao empresário ser liberado do presídio. Ele havia sido preso na última terça-feira (19) em frente ao Fórum de Linhares, por ameaça e desacato a um juiz.

> Tragédia em Linhares: vídeo mostra confusão que terminou em prisão

De acordo com o advogado Siderson Vitorino, a liminar foi concedida pelo desembargador Adalto Dias Tristão, da Segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça. Rainy é o pai biológico de Kauã, de 6 anos, que junto com o irmão Joaquim, de 3 anos, foi morto em um incêndio criminoso em Linhares, em abril do ano passado.

Na liminar, o desembargador pontuou a situação envolvendo Kauã e Joaquim, como justificativa para a liberdade de Rainy.  "Todavia, é inegável o estado emocional abalado do paciente. Não há como negar que, segundo alega o Ministério Público, o cometimento do horrendo duplo homicídio de seus filhos - estuprados e depois mortos queimados - tenha destroçado por completo a sua alma, estando, portanto, na busca por Justiça, desorientado, o que merece ser levado em consideração, mormente quando ele não aceita que a possível coautora esteja em liberdade", disse o desembargador.

O magistrado citou também que não houve motivos para a prisão. "Aduz o impetrante que o paciente se encontra preso cautelarmente sem motivação para tanto, pois desnecessário o seu cárcere diante da ausência de crime de periculum libertatis".

Após a liberdade, a Justiça determinou que ele cumpra medidas cautelares, como: comparecimento mensal ao juízo criminal, obrigação de não se dirigir ou proferir palavras ao magistrado Carlos Madeira Abad — com quem se envolveu na confusão — e a proibição de porte de arma de fogo.

Às 18h50 desta sexta-feira (22), a Secretaria de Justiça (Sejus) informou que recebeu o alvará de soltura para Rainy Butkovsky e que seguirá com os procedimentos de praxe para sua liberação.

 

 

Ver comentários