Notícia

Comoção marca enterro de menino vítima de diarreia em Vila Velha

A mãe da criança de dois anos que faleceu nesta quarta-feira (27) por morte cerebral, agradeceu aos professores, amigos e familiares

Sepultamento ocorreu no início da tarde desta quinta-feira
Sepultamento ocorreu no início da tarde desta quinta-feira
Foto: Eduardo Dias

Foi sepultado, às 13h04 desta quinta-feira (28), o corpo do menino de dois anos que morreu após sofrer uma grave diarreia. A criança estava internada desde a última sexta-feira (22) em um hospital particular de Vila Velha e não resistiu à evolução do quadro. Na despedida, ainda durante o velório, a mãe disse que ele era uma criança brincalhona e agradeceu aos professores, amigos e familiares.

A reportagem apurou no local que a mãe, emocionada, relembrou os desenhos que o filho mais gostava. Ainda durante uma última celebração curta antes do sepultamento, a mãe agradeceu pelas orações feitas pelos professores e colegas de classe do menino. Ela pediu que fosse tocada a música "Eu cuido de ti", da banda Canção e Louvor.

Momentos antes do término do sepultamento, uma enfermeira que cuidou do menino no hospital particular onde ele permaneceu internado, falou da personalidade do paciente, expressou de palavras de conforto aos pais e familiares e fez uma oração. Em seguida, o pai também agradeceu o apoio da família, dos amigos e enfermeiros.

"A gente recebeu ligação de um monte de gente que nem esperava. É sinal que o nosso filho é iluminado. Não tinha quem não chegasse perto dele e não sorrisse, não gostasse dele. Todo mundo parava e queria ter um momento com ele", disse o pai.

E complementou: "Queria agradecer a todos que fizeram essa corrente de oração. Ela não foi em vão. Ela uniu mais as pessoas. Ele teve um propósito, além de um propósito particular em minha vida. Nesse período uniu, fez amizades e conectou pessoas. E pode acreditar: se o propósito da minha vida era esse, ele cumpriu esse propósito e está retornando para casa do pai. Agora, só nos resta ser dignos de fazer por onde é continuar no caminho do sonhar para poder um dia estar junto com ele novamente. Obrigado a todo mundo que esteve conosco mesmo perto, longe. Obrigado a todo mundo".

> Pai de criança que morreu após surto em creche aguarda resultado de exame

Na despedida, que aconteceu no cemitério Parque da Paz, em Ponta da Fruta, Vila Velha, muitas pessoas estiveram presentes para apoiar os pais e também se despedir do menino de dois anos. A última missa aconteceu às 11h. Várias coroas de flores em homenagem ao menino foram entregues à família.

> O que provocou surto em creche de Vila Velha?

Com informações de Eduardo Dias.

O QUE PROVOCOU SURTO EM CRECHE?

A confirmação ainda não existe, mas há a suspeita de que seis crianças de uma creche particular na Praia da Costa, em Vila Velha, foram infectadas com uma bactéria que ainda não foi identificada. No entanto, outras causas como vírus, fungos ou toxinas não são descartadas.

> Surto de diarreia: mais uma criança da mesma creche em Vila Velha passa mal

MORTE

Um menino de 2 anos, que estava internado, em coma, teve a morte cerebral confirmada nesta quarta-feira (27). Uma segunda criança, também de dois anos, permanece em estado grave, na UTI de um hospital particular. A terceira vítima está internada em observação. As outras três crianças foram atendidas e liberadas. Não chegaram a ficar internadas.

INVESTIGAÇÃO É PRIORIDADE

O secretário municipal da Saúde de Vila Velha, Jarbas Ribeiro de Assis Junior, reforçou na tarde desta quarta-feira (27), que o caso é grave, é prioridade e segue sob investigação.

CRECHE FECHADA

A creche, que fica na Praia da Costa, está fechada, e a suspeita é de que a infecção aconteceu dentro da unidade ou em um quiosque em frente, onde duas crianças tomaram água de coco e comeram batata frita e apresentaram o quadro mais grave de saúde. Uma delas, o menino de 2 anos, teve morte cerebral declarada nesta quarta-feira (27). O outro segue em estado grave na UTI de um hospital particular.

Até o momento, a investigação somente aponta que das cinco crianças afetadas, quatro são da mesma turma da creche.

QUIOSQUE ABERTO

Apesar da recomendação da Prefeitura de Vila Velha, o quiosque segue aberto e só será fechado eventualmente caso o resultado da pesquisa mostre que a contaminação aconteceu no estabelecimento. O nome do quiosque não foi divulgado.

TENTATIVA DE IDENTIFICAR CAUSA

Desde que a Prefeitura de Vila Velha foi comunicada sobre o surto na creche, no dia 22 de março, várias coletas foram feitas para análises laboratoriais. Entre os materiais analisados estão:

Água utilizada na creche (torneiras e bebedouro)

Água utilizada pelo quiosque e análise de comida

Facão do quiosque utilizado para cortar coco

Análise de cultura nas crianças que passaram mal

Apesar da suspeita de infecção por bactéria, não são descartadas outras causas como fungos, vírus ou toxinas.

RESULTADOS

Ainda nesta semana deve sair o resultado dos testes, que pode indicar o que causou o surto na creche. Quem vai analisar o conteúdo coletado é o Laboratório de Gestão do Saneamento Ambiental (Lagesa).

DEMORA EM NOTIFICAÇÃO PODE ATRAPALHAR 

De acordo com Jarbas Ribeiro de Assis Junior, a Secretaria Municipal da Saúde demorou a ser alertada sobre o caso, e isso pode atrapalhar as investigações — de modo que a primeira internação aconteceu no dia 17, outra no dia 19 e a secretaria só foi avisada no dia 22. "Nós perdemos uma semana de investigação, o que pode dificultar, de fato, descobrir qual foi a origem da bactéria", disse.

> Morre criança que estava internada após surto em creche

Equipes da Prefeitura Municipal de Vila Velha (PMVV) foram aos hospitais realizar uma busca de material biológico das crianças, como sangue e urina. Ainda não há relato de novos casos. Jarbas afirma que a probabilidade maior é de que a infecção tenha sido por uma bactéria, já que com vírus costuma ser "mais branda".

NÃO HÁ SURTO NA CIDADE

A Prefeitura de Vila Velha descarta possibilidade de surto na cidade, sendo um caso específico registrado na creche. A situação continua sendo investigada pela Vigilância Sanitária e Vigilância Epidemiológica do município.

Em entrevista à Rádio CBN Vitória, a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Vila Velha, Giovana Ramalho, e a gerente da vigilância sanitária do município, Flávia Costa, explicaram que os sintomas nas crianças iniciaram no dia 15 deste mês, mas que a prefeitura foi avisada no dia 22, às 19h30.

Ver comentários