Notícia

Moradores sofrem para pegar encomendas

Na maioria das vezes eles têm que fazer uma peregrinação

João Lepaus, 69, sempre vai ao centro de distribuição buscar encomendas.
João Lepaus, 69, sempre vai ao centro de distribuição buscar encomendas.
Foto: Fernando Madeira

]A suspensão da entrega de encomendas pelos Correios em bairros da Serra, por causa da insegurança, obriga os moradores a se deslocarem até agências para retirarem os itens. Mas, nesse caminho, não há tranquilidade. Se os carteiros são alvos, as pessoas também se sentem vulneráveis. E algumas ainda têm que fazer uma verdadeira peregrinação até a retirada das encomendas.

É o caso da técnica de Enfermagem Eleni Souza, 37 anos, que precisou ir a duas agências, em Laranjeiras e no Centro de Distribuição de Jacaraípe, para pegar suas encomendas: um kit de cremes e uma sandália. O remetente era o mesmo, mas o destino foi diferente para cada um dos produtos.

“Nesse sol quente, andando de ônibus e um trecho a pé, fui em Laranjeiras e só tinha parte da encomenda. Lá, não sabiam informar direito da outra. Paguei passagem, fui depois na agência de Jacaraípe, e não estava lá, mas aqui (no centro de distribuição)”, contou.

A dificuldade de ter que buscar a encomenda se soma a outras preocupações para o técnico de planejamento Thiago Loureiro, 37. Ele foi ao centro de distribuição apenas com um documento de identificação e o código da encomenda para poder retirá-la. “Não trago nem celular. Se quero saber as horas, pego um relógio velho que carrego no bolso. Se é perigoso para os Correios entregarem a encomenda, para nós também é”, desabafou ele, que mora em São Patrício.

Thiago foi buscar tapetes do carro que havia encomendado, mas tomou uma decisão: “da próxima vez que precisar fazer encomenda, vou dar o endereço da minha sogra que é em Vitória e não tem esse problema”, afirmou.

O técnico de planejamento Thiago Loureiro, só leva o documento
O técnico de planejamento Thiago Loureiro, só leva o documento
Foto: Fernando Madeira

Morador de Jardim Atlântico, o transportador João José Lepaus, 69, disse que frequentemente vai ao centro de distribuição buscar encomendas que não chegam a seu bairro. “É um transtorno muito grande para nós”, reclama.

O aposentado Jacinto Gariani, 79, também vai com regularidade à unidade buscar encomendas. “Hoje, ainda está vazio. Mas, normalmente, tem muita fila e temos que aguardar bastante”, revela, acrescentando que sabe que o problema é a insegurança. “A situação está bem difícil”, comenta o morador do Bairro das Laranjeiras.

Para o empresário Pedro Vargas, é necessário cobrar do poder público por medidas. “Se o problema é segurança, o governo tem que fazer alguma coisa”, ressalta.

Os Correios informam, por nota, que, para os usuários de bairros onde a entrega domiciliar não está sendo feita, a estratégia da empresa é enviar as encomendas para as unidades mais próximas à residência. “As encomendas da região de Jacaraípe são encaminhadas para o CDD Jacaraípe ou agência Laranjeiras, de acordo com o CEP informado pelo remetente. Vale ressaltar que a agência de Laranjeiras também foi alvo de assalto no final de 2018 e passou alguns dias fechada. Durante este período todas as encomendas da região eram destinadas ao CDD Jacaraípe.”

SUSPEITO DE ENVOLVIMENTO EM ROUBOS A CARTEIROS PRESO

Um suspeito de envolvimento em roubos a carteiros foi preso no final do mês passado pela Polícia Militar. Ele foi parado em uma abordagem, em Fundão, por estar dirigindo de forma irregular uma motocicleta.

Segundo informações da Polícia Federal, por estar sem documentos e criar dificuldades para sua identificação, ele foi encaminhado inicialmente para prestar esclarecimentos à Polícia Civil de Aracruz. Na delegacia, durante depoimento, o suspeito deu nomes falsos mas, em troca de informações com a Delegacia de Repressão a Crimes contra o Patrimônio e Tráfico de Armas da Polícia Federal (Delepat), foi possível identificar que se tratava de um homem de 30 anos, natural de Sergipe, de onde era foragido da Justiça. Também havia um mando de prisão expedido pela 2ª Vara Federal Criminal de Vitória por roubo a carteiro em Serra Dourada III, na Serra, em março de 2017.

Sua participação foi confirmada após o depoimento da vítima e a realização de perícia no veículo. Este trabalho é resultado do esforço integrado das forças policiais que atuam no Estado do Espírito Santo em diminuir o número de roubos carros dos Correios, cuja incidência é maior no município da Serra”, informa a Polícia Federal, por nota.

OUTRO LADO 

A PM ressalta, em nota, que realiza policiamento ostensivo diário em todos os municípios, agindo de forma preventiva e repressiva, com blitze, cercos táticos e pontos bases. Lembra ainda que faz parte de um sistema de segurança pública do qual participam outros atores, e que conta com a colaboração para denúncias pelo 190 e 181.

Ver comentários