Notícia

Morre criança que estava internada após surto em creche de Vila Velha

Hospital particular em Vila Velha confirmou que a criança teve morte cerebral

Secretaria Municipal de Saúde de Vila Velha, que investiga o caso
Secretaria Municipal de Saúde de Vila Velha, que investiga o caso
Foto: Divulgação | Prefeitura de Vila Velha

Uma das crianças internadas após apresentar sintomas como diarreia grave, em uma creche particular de Vila Velha, teve morte cerebral declarada nesta quarta-feira (27). A informação foi confirmada pelo hospital no qual o menino, de 2 anos, estava internado. O caso dele era gravíssimo, estava em coma e com falência renal. O nome da criança não foi divulgado.

Uma segunda criança permanece em estado grave, na Unidade de Terapia Intensiva de um outro hospital particular. Uma terceira vítima do surto segue internada sob observação.

O CASO

Cinco crianças de uma creche particular de Vila Velha foram levadas para o hospital com sintomas semelhantes a uma infecção, duas delas estavam internadas em estado grave com diarreia e outros sintomas. Dessas, uma evoluiu para óbito. Uma terceira criança segue internada em observação. As outras duas foram liberadas.

Apesar da situação, a Prefeitura de Vila Velha descarta possibilidade de surto na cidade, sendo um caso específico registrado na creche. A situação continua sendo investigada pela Vigilância Sanitária e Vigilância Epidemiológica do município.

Em entrevista à Rádio CBN Vitória, a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Vila Velha, Giovana Ramalho, e a gerente da vigilância sanitária do município, Flávia Costa, explicaram que os sintomas nas crianças iniciaram no dia 15 deste mês, mas que a prefeitura foi avisada no dia 22, às 19h30.

A creche está fechada nesta quarta-feira (27) para que haja monitoramento e investigação no local e foi realizado exame de cultura para saber se a bactéria é resistente ou não e de que tipo ela é.

NÃO HÁ SURTO, DIZ PREFEITURA

Não há novos casos em outras crianças que frequentam o local, nem em adultos que trabalham ou frequentam a creche. A Prefeitura de Vila Velha reforça a informação de que não há surto de diarreia na cidade.

QUIOSQUE

Segundo a Secretaria de Saúde, a possível origem do problema tem sido investigada e poderia vir tanto da creche particular, onde as crianças estudam, ou de um quiosque na praia de Itaparica, onde teriam tomado água de coco e comido batata frita no dia do surto.

Tanto o estabelecimento comercial quanto a creche, que não tiveram os nomes divulgados, já passaram por coleta de análises no ambiente e nos alimentos comercializados. Apesar de a creche ter sido fechada até que os resultados das análises saiam, o quiosque não foi interditado.

De acordo com informações da Secretaria Municipal de Saúde de Vila Velha, a proprietária da escola, responsável pela notificação do surto ainda na sexta-feira (22), já foi aconselhada a interromper as atividades até que seja conhecido o resultado dos exames laboratoriais já encomendados. Em relação aos pais, a indicação é de que não enviem os filhos à creche até que seja compreendida a origem do problema e o tipo de bactéria que resultou na infecção.

Até o momento, a investigação somente aponta que das cinco crianças afetadas, quatro são da mesma turma da creche.

DEMAIS AÇÕES

Além das recomendações às famílias e à escola, o município de Vila Velha, por meio da Vigilância Sanitária, realizou vistoria nos estabelecimentos investigados.

Até o momento também foram enviados para o laboratório central da Secretaria coletas de três amostras de água da creche (de torneiras e do bebedouro) e das fezes das crianças. Na quarta-feira (27) será realizada coleta de água no quiosque.

A Vigilância Epidemiológica visa ainda coletar amostra de pacientes e proceder à investigação de novos casos.