Notícia

Verão seco: dados sobre a estação em Vitória impressionam

Informações do Instituto Nacional de Meteorologia mostram que o volume de chuva esperado para estação ficou bem abaixo da média

Verão quente e seco do início ao fim
Verão quente e seco do início ao fim
Foto: Marcelo Prest

Que o calor no Espírito Santo está acentuado, não é mais novidade. Mas o que chama a atenção neste balanço de final de verão, que se despede no dia 20 de março para dar lugar ao outono, é a escassez de chuvas, que acabou tomando conta de toda a estação de calor.

> Janeiro de 2019 é o mais quente em Vitória desde 1993, diz Climatempo

Na capital do Estado, o acumulado de chuva no mês de março, até a quarta-feira (13), foi de apenas 11,8 mm, enquanto nos meses de janeiro, fevereiro e março, também até o dia 13, foi de 144,6 mm de acordo com dados do Instituto Nacional de Meteorologia. Este número, somado ao início do verão, ainda em dezembro de 2018, totaliza em 237,2 mm, o que representa déficit em relação à média esperada para toda a estação.

MÉDIAS DE CHUVA

Conforme informações divulgadas pelo Climatempo, a soma das médias de chuva dos meses que compõem o verão de Vitória resultaria em 553,1 mm. E como se chega a este número?

"A média climatológica é calculada a partir de 30 anos de dados coletados. A partir deles, é tirada a média para cada mês de acordo com o padrão obtido, que serve de base para comparação. No caso, já existem duas médias definidas, levando-se em conta os períodos de 1961 a 1990 e de 1981 a 2010. Tomamos como referência para análise a média mais recente", esclareceu João Basso, meteorologista do Climatempo.

Assim, ao tratar de uma média que alcança 553,1 mm, o que se diz, na verdade, é que há uma diferença muito grande entre o volume de chuvas alcançado no período, de 237,2 mm, para o que seria a expectativa ou o ideal. Neste sentido, o Verão de Vitória recebeu 315,9 mm de chuva a menos do que o esperado.

2ª CAPITAL DO BRASIL COM MENOS CHUVA

Até o final de janeiro de 2019, de acordo com dados do Instituto de Meteorologia (Inmet), Vitória era a segunda capital no Brasil que registrava menos chuva. O topo do pódio ficava com Aracaju, capital de Sergipe, que em 20 de janeiro havia contabilizado apenas 3,6 mm de chuva ao longo do ano. Vitória, à data, havia registrado 8,2 mm.

> Vitória sofre com déficit de chuva em janeiro

POR QUE ESTÁ FAZENDO TANTO CALOR?

O "calorão" tem motivo. O verão 2019 tem um diferencial importante e que determina mudanças nas características básicas da estação em cada região do Brasil. A estação está sendo influenciada pelo fenômeno El Niño, que se efetiva com fraca e moderada intensidade desde o fim de dezembro de 2018 e neste começo de 2019.

O El Niño é um fenômeno climático de escala global, caracterizado pelo aquecimento anormal das águas superficiais do Oceano Pacífico, predominantemente na sua faixa equatorial; ele ocorre em intervalos médios de 4 anos. Este aquecimento é geralmente observado no mês de dezembro, próximo ao Natal, por isso recebeu o nome de “El Niño”, em referência ao “Niño Jesus” (Menino Jesus), que foi dado por pescadores peruanos.

> Calor aumenta aparecimento de escorpiões e risco de picadas

Ver comentários