Notícia

Capela de Santa Luzia: edificação mais antiga de Vitória será restaurada

A igreja erguida no século 16 é a edificação mais antiga da Capital

Capela de Santa Luzia, no Centro de Vitória. A igreja é a edificação mais antiga da Capital e vai ser restaurada
Capela de Santa Luzia, no Centro de Vitória. A igreja é a edificação mais antiga da Capital e vai ser restaurada
Foto: Fernando Madeira | GZ

A Capela de Santa Luzia, na Cidade Alta, em Vitória, vai passar por uma grande restauração que contemplará todo o edifício - o mais antigo da Capital.

A ordem de serviço, como noticiado pela coluna Leonel Ximenes, será assinada nesta terça-feira (16), quando a empresa responsável pelo serviço já estará autorizada a iniciar os trabalhos. Isso deve acontecer em até 15 dias após a assinatura do documento. Esta é a edificação mais antiga de Vitória.

VALOR DA RESTAURAÇÃO

A restauração custará R$ 302.571,60, investimento feito pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e deve durar seis meses. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) fará acompanhamento técnico do restauro.

O prazo para duração da restauração começa a contar a partir da assinatura da ordem de serviço. Depois que os serviços forem concluídos, a capela voltará a ser aberta ao público, como museu de arte sacra.

Isso, aliás, segundo o gerente de Memória e Patrimônio da Secult, Rodrigo Zotelli, é uma demanda dos turistas que visitam a Cidade Alta e gostariam de conhecer o interior da capela.

A capela funcionava como museu e está fechada há muito tempo por conta de problemas de conservação, com isso, quem fazia o circuito turístico da Cidade Alta, sentia falta de poder entrar no prédio e, por isso, pediam a reabertura dela

Os problemas citados afetam, principalmente, as estruturas de madeira que compõem o piso e os altares laterais da capela. Esses locais, segundo Zotelli, devem receber “uma atenção especial” durante a restauração.

“Os forros e o piso sofreram muito por conta da umidade. No alter a madeira é trabalhada, tem detalhes que foram danificados e, agora, passaram pela restauração recebendo uma atenção especial”, descreve.

O professor e historiador Fernando Achiamé descreve a importância da capela para a história e cultura do Estado. “Por se encontrar no sítio original da vila da Vitória, atualmente conhecido como Cidade Alta. Depois, por ser uma edificação erguida ainda no século XVI e que, mesmo modificada, assistiu à passagem de todas as etapas da vida da cidade, capital do estado capixaba.”

REFORMAS

Vale lembrar que esta não é a primeira vez que a capela passa por obras. A mais recente aconteceu em 2014. Na época, ela ficou 10 meses fechada e foram realizados serviços no telhado e nas instalações elétricas do imóvel, que possui arquitetura colonial. Antes disso, em 2012 sua fachada foi reformada. Ela ainda passou por mais, pelo menos, seis reformas anteriores. Em 1946 ela foi tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

HISTÓRICO DA CAPELA DE SANTA LUZIA

Fundação

A capela é feita de pedra e cal de ostra e coberta com telhas de barro, com estilo colonial. O prédio foi feito no século 16.

Marco

Esta é a edificação mais antiga da Capital. É considerada por historiadores como um marco do início da colonização do Espírito Santo

Museu

Em 10 de novembro de 1944 a igreja foi transformada no Museu de Arte Religiosa.

Patrimônio Nacional

Em 1946 ela foi tombada o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan)

Ver comentários