Notícia

Chove em Vitória dez vezes mais que o esperado e bairros alagam

Os bairros mais afetados foram Ilha de Santa Maria, Ilha de Monte Belo e Jucutuquara, onde várias ruas ficaram tomadas pela água

Casa desabou na Ilha de Santa Maria
Casa desabou na Ilha de Santa Maria
Foto: Caíque Verli

A chuva forte que atingiu a cidade de Vitória, entre a noite de domingo (14) e madrugada desta segunda-feira (15), assustou e deixo uma série de prejuízos para moradores. Os bairros mais afetados foram Ilha de Santa Maria, Ilha de Monte Belo e Jucutuquara, onde várias ruas ficaram tomadas pela água. Só na madrugada, o índice de chuvas registrado na capital foi de 108,5 milímetros, dez vezes mais que o previsto (cerca de 10mm), de acordo com a Defesa Civil de Vitória.

Duas residências desabaram: uma delas desabitada em Ilha de Santa Maria, e a outra em São Pedro, que tinha três moradores que não se feriram e foram alojados em casa de parentes.

 

"A CASA COMEÇOU A DESCER"

Rita de Cassia Bulhões, que é servidora pública, mora numa casa um pouco abaixo da casa que desabou em Ilha de Santa Maria e contou para a reportagem da Rádio CBN Vitória como foi o susto.

"Tinha acabado de me recolher, pois saio muito cedo para trabalhar, não tinha nem adormecido ainda. Meu esposo gritou que a chuva estava muito forte e que tinha dado um estalo. Do estalo veio o estrondo e a casa começou a descer. A partir daí, a água começou a entrar na minha casa, água e lama. Desde meia-noite que eu estou puxando água e lama, não consegui descansar e nem fui trabalhar hoje", lembrou.

Pela manhã, a água já tinha abaixado, mas o rastro de destruição ainda era nítido pelas ruas: muita lama, lixo espalhado no chão e as marcas nas paredes que mostram até onde a água atingiu.

VELOCIDADE DA ÁGUA

Entre os moradores, a sensação era de muita surpresa. O relato era de que sempre que chove forte, a água invade as residência, mas que dessa vez ela subiu de forma muito rápida, como se fosse uma tromba d'água. A auxiliar de cozinha Deusa Maria, que perdeu vários móveis com o alagamento, contou que acordou durante a madrugada já com a casa alagada.

"Acordei e virei a mão na cama - eu tenho esse costume. E senti que molhou minha mão. Me questionei: 'o que está acontecendo?". Liguei a luz do celular e vi que minha casa está toda alagada. E agora que a água abaixou, está cheia de lama", lamentou Deusa.

Em Ilha de Santa Maria, uma idosa de 85 anos, que ficou ilhada em casa, precisou ser carregada por três homens. Maria Helena Vieira Martins, dona de casa e filha da idosa, fez um desabafo emocionado.

"E se ela morasse sozinha, como tem muitos idosos que moram? Seria uma tragédia porque ela iria tentar levantar - ela tem um problema na perna. Ela poderia ter caído dentro da água ou ter desmaiado. Então, sr prefeito, é o apelo de uma moradora que paga um IPTU caro, olha pelo povo de Santa Maria e Monte Belo. Faz um levantamento de galerias, bota uma galeria. Porque a gente não pode ficar comprando móvel e perdendo móvel não, gente", disse à Rádio CBN Vitória.

Foto: Caíque Verli

A maternidade Pró-Matre, que fica na Ilha de Santa Maria, em Vitória, também teve áreas alagadas. A água atingiu setores administrativos. De acordo com a Santa Casa de Misericórdia, que administra a unidade, os pacientes não precisaram ser removidos e o atendimento segue normal.

Ver comentários