Notícia

Chuva alaga maternidade e causa prejuízos na Grande Vitória

Os atendimentos na Pró-Matre não precisaram ser suspensos, pois a água só chegou à área administrativa

Lama em frente à Pró-Matre
Lama em frente à Pró-Matre
Foto: Caíque Verli

A maternidade Pró-Matre, que fica na Ilha de Santa Maria, em Vitória, teve áreas alagadas após as fortes chuvas que atingiram a Capital entre a noite de domingo (14) e a madrugada desta segunda-feira (15).

Segundo funcionários, os pacientes não precisaram ser removidos, mas a água entrou em alguns setores, como recepção e enfermaria. No momento, não tem mais água no local, apenas lama na parte da frente.

Por meio de nota, a Santa Casa de Misericórdia de Vitória, Unidade Pró-Matre, informa que, devido à forte chuva da última noite, foram registrados alguns focos de alagamento na instituição.

> Chuva forte deixa ruas e casas alagadas na Grande Vitória

"Em alguns banheiros a água voltou pelos ralos, assim como em uma sala destinada a estudantes e no estacionamento. Os atendimentos não precisaram ser suspensos, pois a água só chegou à área administrativa. A equipe de plantão resolveu o problema ainda durante a madrugada."

Apesar da informação de funcionários de que a água entrou na recepção e na enfermaria, a direção da maternidade informou que a água só invadiu o estacionamento, em alguns ralos de banheiro e na sala de estudantes. 

Com informações de Caíque Verli

CHUVA NA GRANDE VITÓRIA

 

 

Estragos da chuva na Ilha de Santa Maria em Vitória
Estragos da chuva na Ilha de Santa Maria em Vitória
Foto: Caíque Verli

A chuva forte que caiu entre o fim da noite deste domingo (14) e a madrugada desta segunda-feira (15) deixou ruas e casas alagadas na Grande Vitória. Na Ilha de Santa Maria, na Capital, moradores perderam móveis e eletrodomésticos, como aconteceu com a diarista Marilza Vieira Martins, que mora na Rua João Bastos Vieira.

"Foi muito rápido. Parecia uma tromba d'água. Quando desci para ver a minha mãe, que tem 87 anos, a água entrou direto e não deu tempo de salvar nada. Foi muito rápido. Eu perdi a geladeira, acho que o fogão também danificou porque entrou bastante água, compra que estava no andar de baixo", contou.

Segundo a diarista, pelo menos uma vez por ano a casa dela alaga, porque as galerias estão sempre entupidas. Para piorar a situação, hoje é aniversário da Marilza.

"Um presentão. Pensei em ir na rua fazer uma compra, comprar uma coisa bonita para vestir, mas vou ter que ficar limpando. O dinheiro do meu presente vou ter que dar entrada em uma geladeira e ficar pagando prestações a Deus dará", lamentou.

O mecânico Daniel Francisco Noia Júnior, 59 anos, perdeu móveis
O mecânico Daniel Francisco Noia Júnior, 59 anos, perdeu móveis
Foto: Caíque Verli

O mecânico Daniel Francisco Noia Júnior, 59 anos, também teve prejuízos. Ele perdeu fogão, geladeira, cama e guarda-roupa. "Tem um mês que comprei esse guarda-roupa, ainda estou pagando. Aqui não tem jeito mais não, se não limpar essa galeria", afirmou.

Vila Velha

Como é comum acontecer em dias de chuva, ruas do bairro Cobilândia, em Vila Velha, ficaram cheias.

Rua alagada em Cobilândia, Vila Velha
Rua alagada em Cobilândia, Vila Velha
Foto: Caíque Verli

Com informações de Caíque Verli

Ver comentários