Notícia

Mais de 25 anos de música e de devoção à padroeira

Grupo que conta com fiel de 92 anos toca em missas e na Festa da Penha

Fiéis de Nossa Senhora da Penha tocam todos os anos durante a festa dedicada à Padroeira
Fiéis de Nossa Senhora da Penha tocam todos os anos durante a festa dedicada à Padroeira
Foto: Fernando Madeira

Todas as quartas-feiras a rotina se repete: com passos lentos pela idade, Theodoro Effgen, de 92 anos, chega ao Campinho do Convento da Penha, em Vila Velha, e afina seu bandolim para tocar na Missa da Saúde realizada pontualmente às 15h.

Ele faz parte de um grupo que há mais de 25 anos participa de celebrações no local e em missas da Festa da Penha em um ato de fé e devoção à Padroeira do Espírito Santo.

“Eu passei um tempo visitando o Convento em dias de feriado e domingos. Depois que me aposentei, achei mais tempo e pessoas para me acompanhar, como Jerônimo, de 74 anos, uma pessoa que considero um grande irmão e passou a fazer o musical do Convento na missa das 6h. Como ele é cantor e eu músico, formamos uma dupla e tocamos por muito tempo todos os dias nessa missa. Depois ainda encontrei outro grupo maravilhoso e me integrei”, relata Theodoro.

Ele conta que por causa de problemas de saúde não participa mais todos os dias das missas das 6 horas com o amigo cantor José Jerônimo da Natividade, de 74 anos.

DEVOÇÃO 

 

A devoção por Nossa Senhora da Penha é antiga. O aposentado de 92 anos frequenta o Convento desde 1938 e guarda uma incrível história com a Santa: se interessou a tocar bandolim após perceber um anjo na imagem com o instrumento nas mãos.

“Observando a imagem lá do nicho do Convento, vi que na frente de Nossa Senhora tinha uns 10 ou 12 anjos que acompanham a imagem, onde tem um que toca um bandolim ao lado dela. Então disse: vou pegar meu bandolim e fazer a mesma coisa durante as missas do Convento”, relembra o aposentado.

Parceiro de canção de Theodoro, José Jerônimo Natividade amigo não imagina como ficaria sua vida sem cantar no Convento.

“Acho que se eu estivesse em outro lugar certamente eu estaria aqui espiritualmente. Quando venho ao Convento de manhã, o pensamento sobe muito antes do que o corpo. E quando chego aqui é para louvar e dar graças a Deus pela vida”, destaca José Jerônimo.

FAMÍLIA

A família de Roselene Gonçalves dos Santos também faz parte do grupo de músicos. Ela é cantora e toca violão, o marido também se apresenta com violão e bandolim e o filho acordeon.

“Sou do Paraná e me mudei para cá no final de 2004 e quando cheguei aqui procurei um local que estivesse precisando de gente para ajudar na parte dos instrumentos e da voz. No Convento tinha muita missa e poucos músicos, então acabei me encontrando” conta Roselene, que também é a voz da música tema da Festa da Penha, gravada em 2005.

“É uma emoção muito grande também poder levar para as pessoas um pouquinho do ambiente que é o Convento de Nossa Senhora da Penha. A ideia de fazer o CD na época do Frei Geraldo, é que ele queria que as pessoas tivessem realmente um pedacinho da Penha em casa. A gente teve diversos relatos de pessoas que não puderam subir e foram ouvindo o CD até se despedir desse mundo”, conclui Roselene.

Ver comentários