Notícia

Moradores da Praia do Suá 'malham' insegurança e decisões do STF

O ato, tradicional no Sábado de Aleluia, acontece há 40 anos no bairro, em Vitória

Tradicional Malhação de Judas na Praia do Suá
Tradicional Malhação de Judas na Praia do Suá
Foto: Fernando Madeira

Moradores da Praia da Suá, em Vitória, realizaram neste sábado (20) a tradicional "Malhação" ou "Queima de Judas". Há mais de 40 anos a tradição permanece firme no bairro e e envolve adultos, jovens e até crianças. 

O ato consiste em surrar um boneco do tamanho de um homem, forrado de serragem, trapos ou jornal, pelas ruas do bairro e atear fogo nele. Tudo acontece normalmente ao meio-dia do Sábado de Aleluia, simbolizando a morte de Judas Iscariotes, o apóstolo que entregou Jesus por 30 moedas de prata.

A cada ano, os bonecos são enfeitados com máscaras ou cartazes com o nome de políticos, técnicos de futebol ou mesmo personalidades não tão bem aceitas pelo povo. Este ano a malhação contou com dois bonecos: um representava a insegurança da bairro e o outro, o Supremo Tribunal Federal (STF).

Tradicional Malhação de Judas na Praia do Suá
Tradicional Malhação de Judas na Praia do Suá
Foto: Fernando Madeira

A organização foi feita pelo líder comunitário Emanuel Ribeiro, que também é o responsável pela escolha dos temas. Segundo ele, o boneco do STF foi escolhido por causa do episódio ocorrido nesta semana, em que o ministro Alexandre de Moraes determinou a retirada do ar de reportagens publicadas pela revista Crusoé e pelo site O Antagonista sobre o presidente do STF, Dias Toffoli.

"Essa escolha [do STF] foi porque ficamos chateados com o ministro que disse que estava censurando a imprensa. A mídia ajuda a divulgar o que acontece no Brasil", explicou Ribeiro.

Além dos moradores da Praia do Suá, o universitário Everton Costa veio de Cariacica e também acompanhou a malhação do Judas. Sua principal revolta foi representada em cartazes presos ao corpo do boneco.

"No sábado de aleluia a gente pode mostrar o que a gente está sentindo por determinadas pessoas. Tem vários outros problemas e situações que se eu citasse aqui, iriam ter muitos bonecos. Então eu coloquei o principal, o do Supremo Tribunal Federal, que de supremo pro Brasil não tem nada. Só tem o supremo para os interesses deles", reclamou.

Tradicional Malhação de Judas na Praia do Suá
Tradicional Malhação de Judas na Praia do Suá
Foto: Fernando Madeira

Já sobre o boneco que representava a insegurança do bairro, o líder comunitário afirmou se tratar de um ato de repúdio contra as autoridades políticas municipais que não realizam ações que promovam a segurança na região.

O ato aconteceu na rua Almirante Tamandaré, que ficou fechada por alguns minutos na manhã deste sábado para a queima dos bonecos. O trânsito de veículos já foi liberado na via.

(com informações de Bárbara Caldeiras

Ver comentários