Notícia

Obras da ciclovia na Avenida Rio Branco começam em junho

Moradores da Praia do Canto defendem outro projeto, que não elimina estacionamentos

Ciclista divide espaço com carros na Avenida Rio Branco, em Vitória
Ciclista divide espaço com carros na Avenida Rio Branco, em Vitória
Foto: Fernando Madeira

As obras para implantar a ciclovia na Avenida Rio Branco, que corta os bairros Santa Lúcia e Praia do Canto, em Vitória, devem começar em junho deste ano e durar oito meses. Segundo Márcio Passos, secretário de Desenvolvimento de Vitória, o prazo só será mantido se não ocorrer interferências no processo licitatório.

O processo, aliás, está em fase final para escolher a empresa que vai executar o projeto proposto pela prefeitura. Este plano, contudo, gerou polêmica junto aos moradores da Praia do Canto, porque prevê a extinção de cerca de 90 vagas de estacionamento em um dos sentidos da via.

Leia também

O vice-presidente da associação de moradores do bairro, Sérgio Magalhães, afirma que eles querem a ciclovia, mas sem abrir mão das vagas de estacionamento. “O projeto da prefeitura suprime as vagas, o que vai ser prejudicial aos comerciantes da região e aos moradores. Afetar o comércio é prejudicar o bom andamento do bairro”, afirma.

Os próprios moradores elaboraram um projeto alternativo em 2017, mas ele foi recusado pela prefeitura. “Nossa tese é que a ciclovia seja feita exclusivamente no canteiro do meio, sem utilizar a supressão de vagas da direita”, descreve.

Em nota, a Associação Comercial da Praia do Canto disse estar alinhada à Associação de Moradores, dizendo que “do jeito que a PMV está insistindo em fazer temos certeza que a comunidade terá mais dificuldades do que benefícios”.

Não é viável

Segundo o secretário de Desenvolvimento da Cidade o projeto não seria viável já que poderia acabar prejudicando as árvores que estão no local. Por isso, explica, foi necessário fazer uma escolha.

“As raízes das árvores poderiam estufar e causar problemas. Por isso, entre vagas e árvores, a prefeitura optou ficar com as árvores, pois aquele cinturão verde é muito importante para a cidade”, justifica Passos, lembrando que, com o parquímetro da Praia do Canto, não haveria tanto prejuízo na questão do estacionamento.

“Democratizamos o estacionamento na Praia do Canto, gerando 500 vagas com o parquímetro. Isso foi uma evolução e, agora, estamos fazendo uma outra evolução, com transporte sustentável”, argumenta.

A ciclovia cobrirá toda a extensão da avenida que tem 1,8km. A construção deve custar R$ 1.601.133,59, recursos conseguidos a partir do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento.

 

 

Ver comentários