Notícia

Romaria dos Homens completa 61 anos de história na Festa da Penha

Procissão acontece neste sábado (27), com saída da catedral de Vitória

Romaria dos Homens na Festa da Penha em 2014
Romaria dos Homens na Festa da Penha em 2014
Foto: Bruno Barros Procissão Fotográfica FAESA

A Romaria dos Homens, um dos momentos mais esperados da Festa de Nossa Senhora da Penha completa neste ano 61 anos de história. A peregrinação que será realizada na noite deste sábado (27) reúne uma multidão de fiéis que sai da Catedral de Vitória e vai até o Parque da Prainha, em Vila Velha, percorrendo mais 14 quilômetros a pé.

A romaria foi introduzida na Festa da Penha, maior evento religioso do Espírito Santo, em 1955. Aconteceu em um sábado, mas durante o dia. A partir de 1958, por determinação do bispo da Arquidiocese de Vitória na época, Dom João Batista, a romaria passou a ser noturna, saindo às 19 horas da Praça da Catedral de Vitória até o Campinho do Santuário, passando pela Vila Rubim, São Torquato e Avenida Carlos Lindenberg.

Nessa época um fato curioso chamava a atenção: ao chegar em procissão na portão do convento a multidão era separada. Somente os homens podiam subir até o santuário com a imagem de Nossa Senhora da Penha, onde acontecia a missa celebrada pelo bispo. Os frades faziam a organização da entrada dos fiéis do sexo masculino. “A turma diz que os frades ficavam lá embaixo no portão dizendo para mulher não entrar”, disse o guardião do Convento, Paulo Roberto Pereira.

De acordo com o frei Paulo, o contexto histórico da época favorecia a religião relegada às mulheres e a evangelização para os homens era mais difícil. Por isso, por intermédio do bispo Dom João, a igreja aproveitava a Festa da Penha para catequizar os homens.

“As pessoas mais velhas dizem que o bispo Dom João, que iniciou a Romaria, tinha uma fala muito dura com os homens. Ele fazia uma catequese muito incisiva sobre os aspectos da moral, cuidado com a família. Então, era um assunto muito próprio para os homens”, disse o frei Paulo Roberto.

HISTÓRIA

Início

A caminhada teve início em 1955, mas acontecia durante o dia. Foi introduzida na Festa da Penha pelo bispo do Espírito Santo Dom José Joaquim Gonçalves.

1958

Em 1958, por determinação de dom João Batista, bispo da Arquidiocese de Vitória na época, a romaria passou a ser durante a noite, com saída da Catedral de Vitória até o Campinho do Convento, onde era encerrada com a missa.

Participação dos homens

A partir de 1958 somente os homens podiam participar na missa da romaria, segundo os registros históricos da Arquidiocese de Vitória.

Catequese

A missa presidida por dom João Batista tinha o objetivo de evangelizar os homens. E provocar a reflexão do tratamento para com suas mulheres.

Mulheres

As mulheres ganharam representatividade na romaria ao longo dos anos.

Percurso

Os romeiros percorrem mais de 14 quilômetros da Praça da Catedral de Vitória, saindo às 19h passando pela Vila Rubim, Segunda Ponte, São Torquato e Avenida Carlos Lindenberg. Até chegar ao Parque da Prainha, onde acontece a missa de encerramento, presidida pelo bispo da Arquidiocese de Vitória, dom Dario Campos.

Multidão

Segundo a organização do evento, a Romaria dos Homens deve reunir mais de 400 mil pessoas este ano.

Parque da Prainha

Há 17 anos, a missa de encerramento da Romaria dos Homens acontece no Parque da Prainha. Hoje, a romaria reúne não apenas homens, mas mulheres, jovens e crianças.

Ver comentários