Notícia

Universitário baleado por PM no ES tem 10% de chance de voltar a andar

O jovem fez uma cirurgia para a retirada da bala. Apesar do estado grave, o quadro de saúde do universitário é considerado estável

Alex Lopes Neves foi preso quando entregava um atestado médico no 4° Batalhão da PM, em Vila Velha (foto)
Alex Lopes Neves foi preso quando entregava um atestado médico no 4° Batalhão da PM, em Vila Velha (foto)
Foto: Ricardo Medeiros/Arquivo

O universitário que foi baleado por um policial militar no último sábado (30), na Rodovia do Sol, em Vila Velha, está internado em estado grave e tem somente 10% de chance de voltar a andar. As informações foram passadas pela família do estudante, que informou, ainda, que ele fez uma cirurgia para a retirada da bala. Apesar do estado grave, o quadro de saúde do universitário é considerado estável.

Em depoimento, a vítima contou à Polícia Civil que saiu da Praia da Costa, onde mora, dirigindo um Volkswagen Voyage. No veículo, estavam o jovem e o cachorro dele. O universitário seguia para a casa de um amigo no bairro Ponta da Fruta, no mesmo município.

> PM atirou em motorista no ES após briga de trânsito, diz delegado

Ainda em declaração à polícia, ele contou que parou no semáforo. Neste momento, um homem de moto vermelha emparelhou com o carro dele e, sem falar nada, já apontou uma arma. O jovem informou que ficou assustado e acelerou com o carro. Nisso, o homem atirou.

O tiro passou pela porta do veículo e atingiu as costas da vítima. O rapaz perdeu o controle da direção e foi parar dentro de um matagal no acostamento da pista, às margens da Rodovia do Sol. O autor do tiro fugiu do local. Até então, a polícia e a vítima não sabiam que se tratava de um PM.  Polícia Civil só descobriu porque analisou imagens das câmeras do sistema de videomonitoramento, que fica na Rodovia do Sol.

A VERSÃO DO POLICIAL MILITAR

Em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (4), o delegado da Polícia Civil, Alan de Andrade, informou que, de acordo com o PM, tudo começou quando o universitário deu uma fechada na moto em que o policial pilotava. 

Após essa fechada, segundo o policial, ele foi seguindo normalmente quando parou no semáforo. Os dois começaram a discutir, um xingou o outro, o policial disse que a vítima falou: Você sabe com quem está falando? E, neste momento, o PM diz que a vítima fez um movimento, dando a entender que pegaria algum objeto debaixo do banco. E foi neste momento que o PM fez o disparo
Delegado Alan de Andrade

Após o disparo, Alex Lopes foi para a casa de familiares e lá ficou. Quando retornou para o Batalhão da PM no qual é lotado, nesta quarta-feira (3), foi dada a voz de prisão ao militar pelos próprios policiais da Corregedoria da corporação. 

UNIVERSITÁRIO NEGA DISCUSSÃO

Ao contrário da versão do militar dada à polícia, de que houve briga, o universitário de 24 anos diz que não se recorda de discussão e que estava seguindo normalmente pela via quando parou no semáforo.

> Como estão casos de PMs que se envolveram em confusão

"Ele informou, em depoimento, que só viu a motocicleta do PM se aproximando. O militar teria feito o saque da arma de fogo e efetuado o disparo", disse o delegado.

PM NÃO ACIONOU O CIODES

O delegado Alan de Andrade
O delegado Alan de Andrade
Foto: Glacieri Carraretto | Gazeta Online

Segundo o delegado, é de praxe que policiais que se envolvam em algum tipo de ocorrência acionem imediatamente o Centro Integrado Operacional de Defesa Social (Ciodes-190). O que não foi feito por Alex, que fugiu do local após o disparo contra o universitário. Quem acionou a polícia foi a própria vítima, que acabava de sofrer um acidente de carro após ser baleada. 

PERÍCIA

 

A Polícia Civil realizou perícia no carro do universitário no mesmo dia da ocorrência. A arma do policial militar foi apreendida a e o projétil foi retirado do corpo do rapaz. Será feito um exame de balística. "A motocicleta encontra-se à disposição da PC para possível perícia também", informou o delegado.

PRISÃO DE PM É TEMPORÁRIA

 

De acordo com o delegado Alan de Andrade, Alex ficará preso no Quartel de Maruípe por 30 dias. A prisão pode ser prorrogada em mais 30 dias, dependendo dos resultados da investigação do caso. 

VÍDEO

Ver comentários