Notícia

Casagrande: para atrair turismo é necessário um "Estado sem armas"

Em pronunciamento durante o lançamento do Programa Investe Turismo, o governador do Espírito Santo afirmou que é impossível fazer turismo em um Estado com livre circulação de armas

O governador Renato Casagrande
O governador Renato Casagrande
Foto: Hélio Filho/Secom

Após assinar com outros 13 gestores estaduais uma carta aberta  contrária ao decreto de porte de armas, editado pelo presidente Jair Bolsonaro no início do mês, o governador Renato Casagrande voltou a criticar o assunto - que está dividindo o país - durante o lançamento do projeto Programa Investe Turismo.

Em pronunciamento na tarde desta quarta (22), no Palácio Anchieta, Casagrande afirmou que é impossível fazer turismo em um Estado onde há livre circulação de armas.

Turismo é um conceito que deve estar em todas as áreas do governo. Não se fortalece o setor sem investimentos em segurança pública e infraestrutura. Defendemos um Estado pacífico e sem armas, para a segurança do turista e da própria população. Somos contra a cultura da violência

Na terça-feira (21), Renato Casagrande juntou-se a outros 13 governadores estaduais e do Distrito Federal em uma carta aberta contra o decreto de armas. Na avaliação do grupo, a iniciativa que amplia o direito do cidadão à arma vai aumentar a violência no País.

Ainda em tom de críticas, o governador afirmou que a insegurança e o desaquecimento da economia estão fazendo com que os investimentos públicos estaduais fiquem em estado de alerta. "Estamos tendo cautela em relação às nossas despesas permanentes na administração pública. Eu não estou sentindo segurança na economia brasileira e o cenário é de total incerteza. Para ter investimentos, é preciso buscar alternativas e parcerias", afirma.

Ver comentários