Notícia

Corpos de casal morto na Terceira Ponte são enterrados em Cachoeiro

Kelvin Gonçalves dos Santos, de 23 anos, foi enterrado por volta das 11h. O corpo da adolescente Brunielly Oliveira foi enterrado às 10h

O corpo do motoboy Kelvin Gonçalves dos Santos, de 23 anos, e da namorada dele, Brunielly Oliveira, 17 anos, foram enterrados na manhã desta quinta-feira (23) em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado. O casal morreu na madrugada desta quarta-feira após ter a moto atingida pelos veículos do advogado Ivomar Rodrigues Gomes Junior, de 34 anos, e do estudante de Engenharia Oswaldo Venturini Neto, de 22 anos, acusados pela polícia de disputar um racha.

Com muita emoção, amigos e familiares se despediram do Kevin. O velório dele foi realizado na Assembleia de Deus da comunidade de Fruteiras Quente, distrito de São Vicente. O enterro aconteceu por volta das 11h no cemitério local.

O corpo da adolescente Brunielly Oliveira foi enterrado às 10h da manhã desta quinta-feira (23) no Cemitério do Coronel Borges, em Cachoeiro. O velório ocorreu na Centro Comunitário do bairro São Lucas, na sede do município.

O corpo da jovem chegou em Cachoeiro durante a noite. Parentes e amigos prestaram as últimas homenagens à jovem.

De acordo com familiares de Brunielly, ela se mudou de Cachoeiro para a Grande Vitória há quinze dias. Ela morava com o namorado, e estava em busca de emprego. O padrasto contou que ela iria trabalhar como babá e estava cheia de sonhos.

SONHOS INTERROMPIDOS

O jovem, que foi criado por uma tia e pelos avós maternos, e foi descrito como uma pessoa brincalhona e meiga. Kelvin tinha o sonho de terminar o segundo grau, cursar o ensino superior e fazer concurso para a Policia Militar.

O ACIDENTE

Era madrugada desta quarta-feira (22) quando um casal, que trafegava de moto pela Terceira Ponte, foi atingido por dois veículos, um Audi 1 e um Toyota Etios. Os namorados Kelvin Gonçalves dos Santos, 23 anos, e Brunielly Oliveira, 17, morreram na hora.

Para o delegado Ney Fanfa Ribas Neto, que está à frente da investigação, os motoristas do Audi e Etios —  o estudante Oswaldo Venturini Neto, e o advogado Ivomar Rodrigues Gomes Junior — praticavam um racha. Testemunhas afirmam que a dupla estaria a cerca de 160 km/h, mas somente uma perícia vai apontar a velocidade dos veículos no momento da colisão. 

Kelvin e Brunielly voltavam pra casa, por volta das 2h da madrugada, quando foram atingidos pelos veículos. De acordo com um sargento do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, que estava na ocorrência, o Audi acertou a moto, o Etios veio depois e também atingiu o casal. O casal foi encontrado cerca de 150 metros antes dos três veículos.

CÂMERA REGISTROU ACIDENTE

MOTORISTAS BEBERAM ANTES DO ACIDENTE

Segundo o delegado, o advogado e o estudante estavam em uma boate de Vila Velha e beberam antes do acidenteOs dois se recusaram a fazer quatro exames que poderiam comprovar a ingestão de bebida alcoólica ou outros tipos de droga. Ainda no local do acidente, os dois motoristas não quiseram fazer o teste do bafômetro. Horas depois, os motoristas também se recusaram a fazer exames de sangue e urina.

AUTUADOS

Ivomar e Oswaldo foram encaminhados à Delegacia Regional de Vitória, onde foram autuados por dois homicídios com dolo eventual e embriaguez ao volante. De lá, foram levados ao Departamento Médico Legal e encaminhados ao Centro de Triagem de Viana. Nesta quinta-feira (23), eles vão passar por uma audiência de custódia que vai definir se continuarão presos ou não. 

VÍDEO MOSTRA MOMENTO EM QUE DUPLA DEIXA DELEGACIA

FAMILIARES NO DML

Os familiares das vítimas foram ao Departamento Médico Legal (DML), durante a tarde. A mãe de Brunielly, a auxiliar de serviços gerais Jucélia Carolina Alves Oliveira, veio de Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado, para liberar o corpo da filha. O padrasto da menina, o mecânico industrial Valdeir Soares Júnior, também esteve no local.

Jucélia Carolina Alves Oliveira, mãe de Brunielly Oliveira, morta no acidente da Terceira Ponte.
Jucélia Carolina Alves Oliveira, mãe de Brunielly Oliveira, morta no acidente da Terceira Ponte.
Foto: Montagem Gazeta Online

 

DESMAIO AO VER CORPO DO FILHO

A cabeleireira Vilma Gonçalves também esteve no DML. Ela chegou a desmaiar ao ver o caixão do filho. Os corpos de Kelvin e Brunielly foram levados para Cachoeiro de Itapemirim. Informações sobre velório e enterro não foram divulgados.

Mãe de jovem morto em acidente na Terceira Ponte desmaia ao ver caixão
Mãe de jovem morto em acidente na Terceira Ponte desmaia ao ver caixão
Foto: Fernando Madeira

PROTESTO APÓS MORTES

Protesto de motociclistas na Terceira Ponte
Protesto de motociclistas na Terceira Ponte
Foto: Thiago Soares

Motociclistas protestaram na Terceira Ponte contra a morte do casal. Eles ocuparam as pistas no sentido Vila Velha/Vitória e o trânsito seguiu lento. A ação durou cerca de 20 minutos e a via foi liberada por volta das 18h50. Um vídeo gravado mostra os motociclistas andando na Terceira Ponte. 

MÃE DE KELVIN TEVE VISÃO SOBRE TRAGÉDIA

Vilma Gonçalves, mãe de Kelvin Gonçalves dos Santos, que teve a moto atingida na Terceira Ponte
Vilma Gonçalves, mãe de Kelvin Gonçalves dos Santos, que teve a moto atingida na Terceira Ponte
Foto: Bernardo Coutinho

"Falei que meu filho ia morrer, eu vi ele batendo em uma visão", relatou, aos prantos, a mãe de Kelvin, A cabeleireira Vilma Gonçalves, de 40 anos. Kelvin e a namorada, Brunielly, tinham saído da casa da cabeleireira por volta de 21h desta terça-feira (21) e teriam feito um passeio antes de iniciar a viagem de volta para a residência onde o casal morava, em Andre Carloni, Serra.

ABORTO

Além de perder o filho, a cabeleireira, que está grávida de seis semanas, teme ter sofrido um aborto ao descobrir o acidente. Ela ainda deve passar por exames para confirmar a situação.

RAPAZ DEIXA DOIS FILHOS

Vítima do acidente na Terceira Ponte, Kelvin tinha dois filhos, uma menina de um ano, e um menino de três meses. A informação foi passada pela mãe do rapaz. "A minha ex-nora ligou para mim, a mãe da filha dele. Ele acabou de deixar dois filhos, um filho de três meses e uma filha de um ano, de outro relacionamento. Meu filho era uma pessoa trabalhadora, muito honesta, não mexia com ninguém", contou Vilma.

CASAL HAVIA REATADO HAVIA UM MÊS

Vilma contou que o filho fez 23 anos no dia 30 de abril e que ele e Brunielly, que segundo ela tinha 17 anos, haviam reatado o relacionamento e estavam morando juntos há cerca de um mês. A mãe de Kelvin afirma que a namorada dele era de Cachoeiro de Itapemirim e por isso os dois tinham planos de passear na praia.

"IRRESPONSABILIDADE"

De acordo com a reportagem do Gazeta Online, o corpo de Brunielly será levado para Cachoeiro de Itapemirim, mas ainda não há informações sobre o velório ou enterro.  "Irresponsabilidade de duas pessoas que entristece duas famílias. Esse é o nosso país, nossa lei. É só tristeza mesmo, não tem como nem explicar o que está acontecendo. Agora é levar a vida. Tomara que os dois fiquem presos e sejam punidos. É o que a gente espera. Ela tinha voltado para Vitória havia 15 dias para trabalhar. O sonho dela era esse. Kelvin também já estava trabalhando", disse o mecânico industrial Valdeir Soares Júnior.

A cabeleireira Vilma desmaiou ao ver o caixão com o corpo do filho saindo do Departamento Médico Legal (DML), em Vitória na tarde desta quarta-feira (22). A mãe de Brunielly também esteve no local e se emocionou muito ao lado do padrasto da menina. De acordo com a reportagem do Gazeta Online, os corpos serão levados para Cachoeiro de Itapemirim, mas ainda não há informações sobre o velório ou enterro.