Notícia

Cortes na Educação: os protestos de estudantes no Espírito Santo

Pela manhã foram realizados atos nos municípios de Colatina, São Mateus, Vila Velha e Vitória; a manifestação ocorre em todo o país

Estudantes capixabas protestaram na manhã desta quarta-feira (15) contra o corte de verbas em universidades e institutos federais anunciado pelo ministério da Educação no dia 30 de abril. Ao todo, foram contabilizados quatro atos pela manhã no Estado: Colatina, São Mateus, Vila Velha e Vitória. A manifestação ocorre em todo o país.

Alunos do Ifes seguram cartazes durante protesto na BR 259, em Colatina
Alunos do Ifes seguram cartazes durante protesto na BR 259, em Colatina
Foto: Alessandro Bachetti

Em Colatina, alunos do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) manifestaram na BR 259, por volta das 10h. Eles carregaram cartazes e balões pedindo por mais educação e ficaram enfileirados no asfalto, às margens da rodovia. O protesto foi pacífico e não houve bloqueio de pistas.

 

Já na cidade de São Mateus, estudantes da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) fecharam os dois sentidos do quilômetro 61 da BR 101, por volta das 8h30. Manifestantes atearam fogo em pneus e utilizaram cartazes e bandeiras para demonstrar a insatisfação contra o Governo Bolsonaro. O ato terminou às 11h e as pistas foram desobstruídas. 

Estudantes abraçando o campus de Vila Velha
Estudantes abraçando o campus de Vila Velha
Foto: Comunicação Ifes Vila Velha

Em Vila Velha, alunos do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), campus Soteco, abraçaram o prédio para demonstrar união e acolhimento. 

 

Na Capital, foi a vez de movimentos estudantis e sociais protestarem. A concentração ocorreu por volta das 9h na Praça do Papa e manifestantes seguiram pela Avenida Nossa Senhora dos Navegantes e Américo Buaiz com destino à Assembléia Legislativa do Estado.

O trânsito ficou interditado no sentido Centro e o fluxo de veículos foi desviado para a Avenida Desembargador Santos Neves. Alunos carregaram cartazes e faixas pedindo por mais educação e menos armas, uma menção ao decreto de posse e porte assinado pelo Presidente Jair Bolsonaro. A organização do evento informou que cerca de 6 mil pessoas participaram do ato, que se encerrou às 12h. A Polícia Militar não fez estimativa.

Novos protestos são realizados nesta tarde. Acompanhe aqui em tempo real.

ENTENDA

Desde que o MEC anunciou cortes nas verbas destinadas às universidades e institutos federais alegando "balbúrdia" nesses locais, houve preocupação das instituições no Espírito Santo. Na web, comentários contra a decisão do governo federal. Nos bastidores, nem sinal de a pasta voltar atrás nos cortes que devem afetar da conta de luz à limpeza das entidades.

Os cortes no orçamento das universidades e institutos federais preocupa as instituições por ameaçarem, além do ensino, projetos de pesquisa e extensão que trazem inovação. No país, o corte informado pelo MEC é de 24,84%, nas chamadas verbas discricionárias, ou seja, contas de água, luz, compra de material básico e realização de pesquisas. Na Universidade Federal do ES, o corte chega a 37,6%.

 

 

Ver comentários