Notícia

Crime com vergalhão: assassino de empresária começa a ser julgado

Mais de um ano após o crime, Felipe Rodrigues Gonçalves vai para o banco dos réus. Defesa tenta que ele seja condenado por crime culposo, sem intenção de matar

Felipe Rodrigues Gonçalves, 31 anos, o Alemão, preso por matar com um vergalhão a empresária Simone Venturini Tonani
Felipe Rodrigues Gonçalves, 31 anos, o Alemão, preso por matar com um vergalhão a empresária Simone Venturini Tonani
Foto: Carlos Alberto Silva

Começou na manhã desta quarta-feira (15) o julgamento de Felipe Rodrigues Gonçalves, acusado de matar a empresária Simone Venturini Tonani, de 42 anos. Em maio de 2018, o acusado, que era morador de rua, arremessou um vergalhão que atingiu a cabeça da empresária, que estava dentro do carro dela. O caso aconteceu na Praia da Costa, em Vila Velha. O juri popular de Felipe teve início às 9 horas no Fórum do município, em Boa Vista, mais de um ano após o ocorrido.

> Empresária atingida com vergalhão teve joias furtadas em casa após morte

Simone conduzia um veículo na Avenida Champagnat quando foi surpreendida pelo morador de rua. No momento do crime, ela estava com o filho pequeno dentro do carro. A empresária chegou a ser socorrida por equipes do Corpo de Bombeiros, que cortaram parte da barra, e foi encaminhada em estado grave para o Hospital São Lucas, em Vitória, mas não resistiu.

Simone Venturini Tonani era proprietária de uma loja de materiais de construção e ferramentas em Cariacica. Ela morava na Praia da Costa e, na hora do crime, havia acabado de pegar o filho em um colégio particular da região. Marcos Venturini, primo de Simone que concedeu entrevista ao Gazeta Online na época, declarou que foi o menino que desbloqueou o celular para que a família da mulher fosse informada do acidente.

DEFESA

Durante o juri popular desta quarta-feira (15), a defesa vai tentar provar que Felipe não teve a intenção de matar a empresária. A expectativa da advogada Mariana Amaral é de que o acusado seja condenado por crime culposo, cuja pena é de no máximo três anos de prisão.

"Nosso código penal estipula que existe crime doloso e crime culposo. O crime doloso a pena vai até 30 anos, o crime culposo a pena vai até três anos. Espero que o Felipe saia daqui com a pena de até três anos, que ele responda pelo crime culposo. Ele não teve a intenção de matar. Ele errou, não devia ter lançado o vergalhão. Porém, ele deve ser julgado de acordo com o nosso código Penal", afirmou a defensora pública.

REVEJA VÍDEO DO CRIME