Notícia

Em 24 horas, chove cinco vezes mais do que o esperado em Vitória

Segundo a Defesa Civil, já choveu 249 mm. Para todo o mês de maio o volume de chuva esperado era de 78 mm

Ruas do bairro República, em Vitória, ficaram alagadas na manhã deste sábado (18)
Ruas do bairro República, em Vitória, ficaram alagadas na manhã deste sábado (18)
Foto: Internauta Gazeta Online

Devido ao intenso volume de chuva nas últimas 24 horas, a Defesa Civil de Vitória alerta para o risco de deslizamento em encostas e áreas de risco da capital.

Segundo a Defesa Civil, já choveu 249 mm nas últimas 24 horas, cinco vezes mais do que o previsto para o dia, que era de 50 milímetros. Para todo o mês de maio o volume de chuva esperado era de 78 mm.

> Prefeito de Vitória alerta morador e compara chuva com a de 2013

A Defesa Civil de Vitória aconselha aos moradores de áreas de encosta que fiquem atentos a qualquer movimentação do solo e de rolamento de blocos. Nesses casos, a recomendação do órgão é sair do imóvel e entrar em contato com o telefone de plantão 24 horas: 98818-4432. Os chamados também podem ser feitos pelo Fala Vitória 156.

Diante deste cenário, a Defesa Civil solicitou a todas as secretarias que possuem interface como Plano de Contingência que mantenham as suas equipes operacionais de sobreaviso 24 horas para o atendimento de eventuais ocorrências.

> Chuva: BR 101, Terceira Ponte e ruas da Grande Vitória têm interdições

ALAGAMENTOS

Em um curto espaço de tempo, foram identificados vários pontos de alagamento em vários bairros da capital, como or exemplo, Tabuazeiro, Santa Lúcia, Bento Ferreira e Avenida Maruípe. A saída da Terceira Ponte também foi internada no sentido Vitória-Vila Velha. A Defesa Civil orienta evitar passar por esses pontos.

> Vídeo: cenas da chuva que parou a Grande Vitória

BOMBEAMENTO

A Central de Serviços tambem informa que as estações de bombeamento de Vitória operam 24 horas por dia e são acionadas automaticamente para escoar a água para o mar. Mas devido ao volume de água associado ao fenômeno de maré alta o escoamento das águas foi prejudicado.

> Ônibus do Sistema Transcol têm circulação prejudicada

As estações de bombeamento estão em pleno funcionamento: Estação de Bombeamento Doutor Antônio Ferreira da Silva, em Santa Luiza; Estação Praia do Canto; Estação Bento Ferreira/Santa Lúcia, em Bento Ferreira; e Estação Viaduto da Ufes, em Jardim da Penha.

Com informações do site da Prefeitura de Vitória

ENTENDA A MEDIÇÃO DA CHUVA

A medida usada para medir o volume da chuva é em milímetros por metro quadrado. É só imaginar um quadrado de um metro por um metro com um litro de água dentro. O líquido vai subir até a marca de 1mm. Claramente falando, um milímetro de chuva equivale a um litro de água por metro quadrado. Por exemplo: se choveu 50mm, seriam 50 litros de água em cada metro quadrado.

A unidade de medida utilizada para verificar os acumulados de chuva é o milímetro
A unidade de medida utilizada para verificar os acumulados de chuva é o milímetro
Foto: Reprodução | Somar Meteorologia

O período da chuva também é importante. Chover 50 litros de água durante um dia inteiro pode ter um impacto menor do que chover a mesma quantidade de uma vez só, somente em uma hora. E como podemos medir a chuva em uma cidade grande?

Equipamentos chamados de pluviômetros, que estão espalhados por vários pontos da cidade, vão indicar o quanto choveu - e, só então, esses dados vão permitir as comparações das quantidades de chuva por dia, mês e ano.

VEJA COMO FUNCIONA A MEDIÇÃO

 

 

Ver comentários