Notícia

Os bairros mais afetados pela chuva no Espírito Santo

Em Cariacica, o município mais atingido pela tempestade, com 249 mm de chuva nas últimas 24 horas (quase o triplo esperado para o mês), foram registradas 16 ocorrências

As fortes chuvas atigram vários pontos da Grande Vitória
As fortes chuvas atigram vários pontos da Grande Vitória
Foto: Vitor Jubini

As chuvas deram uma pausa na Grande Vitória na noite deste sábado (18), mas a previsão da meteorologia, de acordo com o Incaper (Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural), é que o tempo continue instável neste domingo (19).

CARIACICA

O sábado foi de caos em toda a Grande Vitória. Em Cariacica, o município mais atingido pela tempestade, com 249 mm de chuva nas últimas 24 horas (quase o triplo esperado para o mês), foram 16 ocorrências envolvendo deslizamento de encostas, 14 relacionados a problemas em edificações, sete demandas de queda de árvores, além de 46 registros de pontos de alagamentos.

Os bairros mais alagados da cidade - muitos ainda com problemas de deslocamentos - foram: Itacibá, Rio Marinho, Sotelândia, Nova Brasília, Jardim de Alah, Porto de Santana, Itanguá, Vale Esperança e Flor de Piranema.

>Entenda o porquê do mau tempo no Espírito Santo

A Defesa Civil do município chegou a usar um barco para resgatar pessoas ilhadas em Rio Marinho e Flor de Piranema. Uma residência foi interditada em Itacibá, devido à queda de talude. A família foi encaminhada para casa de parentes. Ao todo, até a noite de sábado, quatro famílias ficaram desalojadas no município.

VITÓRIA

Em Vitória, a situação não foi diferente. A Defesa Civil do Estado informou que a cidade recebeu cerca de 183 mm de chuvas até as 17h. A Prefeitura de Vitória, porém, afirma que o número chegou a 249 mm.

Vários pontos da cidade sofreram com alagamentos, principalmente na manhã e na parte da tarde. Carros e pessoas não conseguiam trafegar por ruas como a César Hilal, na Praia do Suá, ou na Avenida Américo Buaiz, na Enseada do Suá.

Bairros como Tabuazeiro, Santa Lúcia, Bento Ferreira e a Avenida Maruípe ficaram intransitáveis até o final da tarde. A saída da Terceira Ponte também ficou fechada no sentido Vitória-Vila Velha. Houve queda de um muro em Bairro de Lourdes e quatro famílias desalojadas.

VILA VELHA

Em Vila Velha, onde choveu cerca de 200 mm, foram 93 pessoas desabrigadas. A Defesa Civil da cidade resgatou cerca de 300 pessoas com problemas de saúde, encaminhando para a casa de parentes e amigos. Foram mais de mil ligações de pedidos de socorro.

1000

O número de ligações recebidas pela Defesa Civil de Vila Velha

Os desabrigados foram deslocados para a Unidade Municipal de Ensino Infantil (UMEI) Maria Elisa Vereza Coutinho, em São Conrado, e para a Umef Professor Aylton de Almeida, em Terra Vermelha.

Foram quatro ocorrências de deslizamentos de pedra e terra. Pedras desceram de barrancos em Alvorada, Coi de Cima e de Baixo. Nenhuma casa foi atingida. Em Chácara do Conde, um barranco desmoronou, mas ninguém foi atingido.

SERRA

Na Serra, onde choveu 234 mm, os bairros Central Carapina, Jardim Carapina, Jardim Tropical e Jacaraípe foram os mais atingidos. Foram cerca de 60 famílias desalojadas, mais de 200 pessoas, em Hélio Ferraz.

GUARAPARI

Guarapari foi o segundo município com o maior volume de chuvas no Estado, com 245 mm. Duas famílias ficaram desalojadas.

Ver comentários