Notícia

Projeto reduz número de pessoas vivendo na rua em Jardim da Penha

Projeto-piloto da prefeitura de Vitória oferece serviços como o encaminhamento para o tratamento de dependência química e inscrição para cursos profissionalizantes

Morador de rua dormindo em avenida de Jardim da Penha
Morador de rua dormindo em avenida de Jardim da Penha
Foto: Vitor Jubini | Arquivo | GZ

São muitos os motivos que levam pessoas a morar nas ruas, como violência doméstica, a busca interminável por emprego em cidades maiores, entre outros. Em Vitória, a estimativa da prefeitura é de que existam 300 pessoas em situação de rua. O levantamento apontou que o bairro Jardim da Penha concentrava cerca de 40 pessoas em locais como praças ou embaixo das marquises de lojas. Por conta disso, o bairro foi o escolhido para receber um projeto-piloto batizado de “Tenda do Bem”. Atualmente esse número chega a 10 indivíduos. 

A tenda foi montada há três semanas e fica na praça Regina Frigeri Furno, local onde diversas pessoas usavam a arquibancada da quadra de esportes como moradia. Na tenda, as pessoas em situação de rua recebem serviços como o cadastro para a confecção de documentos, encaminhamento para o tratamento de dependência química e a inscrição para cursos profissionalizantes. Assim, as ações conjuntas trazem assistentes sociais, enfermeiros, psicólogos e outros servidores da prefeitura.

OS SERVIÇOS OFERECIDOS

Tenda do Bem
Tenda do Bem
Foto: Prefeitura de Vitória

Após as abordagens sociais, pessoas que aceitam o acolhimento são encaminhadas para serviços socio-assistenciais, como Centro-Pop, Hospedagem Noturna ou Albergue de Migrante. Algumas também foram encaminhadas para tratamento da dependência química na rede municipal de saúde, como o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Outras Drogas, no bairro Ilha de Santa Maria. Caso seja de fora da Grande Vitória e tenha interesse, a pessoa tem a opção de ganhar uma passagem e voltar a sua cidade de origem.

REDUÇÃO DEVE SER AVALIADA COM CUIDADO

Ao longo das últimas três semanas, a prefeitura estima que a população de rua fixa em Jardim da Penha reduziu de 40 para aproximadamente 10 pessoas. No entanto, o secretário de Cidadania, Direitos Humanos e Trabalho de Vitória, Bruno Toledo, afirma que essa redução deve ser avaliada com cuidado, pois não significa que todas as pessoas deixaram as ruas. Em alguns casos, as pessoas em situação de rua mudam trocam de bairro porque não aceitaram o tratamento e não querem ser abordadas novamente.

Balanço parcial

Números parciais dão conta que, em três semanas, a Tenda do Bem em Jardim da Penha alcançou o seguinte resultado:

- 4 pessoas encaminhadas para o projeto de curso profissionalizante

- 2 pessoas encaminhadas para tratamento de dependência química

- 7 pessoas encaminhadas para retiradas de documentos (carteira de trabalho, identidade)

- 2 pessoas encaminhadas para serviços sociais da Serra

- 2 pessoas encaminhadas para serviços sociais de Cariacica

- 3 pessoas encaminhadas para serviços de acolhimento no município de Vitória

OFERTA DE CURSOS PROFISSIONALIZANTES

A tenda também pode encaminhar as pessoas atendidas para um projeto de qualificação profissional, que fica no bairro São Pedro. Neste local são oferecidos, por exemplo, cursos para atendimento em lanchonetes e auxiliar de serviços gerais. O encaminhamento para o curso, no entanto, só acontece após uma triagem feita pela equipe da prefeitura.

"Antes de iniciar o curso, talvez seja necessário essas pessoas passarem por um tratamento em relação à dependência de álcool e outras drogas. Não adianta eu colocar imediatamente a pessoa eu está nesse processo de dependência no curso", explicou o secretário.

MORADOR QUER AMPLIAÇÃO DOS ATENDIMENTOS

Leia também

O presidente da Associação de Moradores de Jardim da Penha, Peterson Pimentel, elogia os primeiros resultados do projeto, mas destaca que a ação precisa acontecer em mais bairros da Capital e outras cidades da Grande Vitória, para que o problema relacionado às pessoas em situação de rua seja resolvido de uma forma mais abrangente.

"É meio que enxugar gelo resolver pontualmente só aqui no nosso bairro. Tem que ser uma ação coletiva, não só dos bairros de Vitória, mas das prefeituras em geral. Esse é um trabalho contínuo", explicou Peterson.

A moradora Sandra Carneiro avalia que é preciso ter atenção para relacionar a presença de pessoas em situação de rua com os casos de furtos ou violência que existem na cidade, para que as pessoas com dificuldades de moradia não sejam vítimas de preconceito.

"Em alguns casos, o morador em situação de rua comete uma coisa ou outra, briga, furta, mas esse número é pequeno. Eu acho que são outros agentes que entram no bairro, fazem e culpa acaba caindo na conta da pessoa em situação de rua. Aí a gente criminaliza o que não deve ser criminalizado", disse a moradora.

FUTURO DO PROJETO SERÁ AVALIADO

Após a realização do projeto-piloto em Jardim da Penha, a prefeitura vai avaliar se dará continuidade aos serviços da Tenda do Bem. Existe a opção de fazer uma tenda itinerante, passando por vários bairros, ou criar mais tendas e disponibilizar o serviço em vários bairros ao mesmo tempo.

TENDA DO BEM

Onde está? Na praça Regina Frigeri Furno, em Jardim da Penha

Quem é atendido? Pessoas em situação de rua em Vitória

Qual serviço é oferecido? As pessoas atendidas podem ser encaminhadas para serviços sócio-assistenciais, como Centro-Pop, Hospedagem Noturna ou Albergue de Migrante. Também é oferecido tratamento de dependência química. Caso seja de fora da Grande Vitória e tenha interesse, a pessoa tem a opção de ganhar uma passagem e voltar a sua cidade de origem

População de rua em Vitória: Prefeitura estima que a cidade de cerca de 300 pessoas em situação de rua morando na Capital. Em Jardim da Penha foram identificados 40 indivíduos, e atualmente são 10 pessoas. 

Ver comentários