Notícia

Protesto contra cortes na educação reúne milhares em Vitória

Segundo a organização, 10 mil pessoas participaram dos atos. PM estimou 7,5 mil manifestantes.

Manifestantes chegam à sede da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (ALES)
Manifestantes chegam à sede da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (ALES)
Foto: Joyce Patrocínio

Alunos, professores e servidores da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) promoveram um protesto em vários pontos do Estado contra o corte dos investimentos na Educação, anunciados pelo Governo Federal. Foram registrados atos em Vitória e cidades do interior. As manifestações fizeram parte de uma mobilização em âmbito nacional, com protestos de estudantes em todo o país.

Em Vitória, dois grupos se mobilizaram e saíram em passeata às 17h. Um que se concentrou em frente ao Teatro Universitário, no campus da Ufes em Goiabeiras, e outro que saiu do campus do Ifes no bairro Jucutuquara. Formada por estudantes, professores e servidores das instituições, a caminhada foi marcada por protestos contra o Governo Federal em relação aos anúncios de corte de investimentos do Governo Federal.

Manifestantes com cartazes criticando o corte na verba destinada às universidades e institutos federais
Manifestantes com cartazes criticando o corte na verba destinada às universidades e institutos federais
Foto: José Carlos Schaeffer

Membro da Central Sindical e Popular Conlutas e um dos organizadores do ato, Felipe Skitter falou sobre a manifestação, frisando os danos a serem causados com os cortes de verba para as universidades e institutos federais.

"Não aceitamos mais cortes. A Universidade já está sofrendo com falta de estrutura, de concursos e de recursos. Estamos em uma luta em defesa da educação pública. Esse é um ato para a gente manifestar para a sociedade a nossa preocupação e a nossa defesa da UFES, que é da sociedade".

Quem participou do ato também expôs a insatisfação com as ações de corte anunciadas pelo governo. O aluno do curso de Arquilovogia da Ufes, João Alencar, 22, falou sobre a importância dos investimentos na educação. "Querendo ou não, é o que faz estudante ser o que ele é. O que faz a universidade trazer conhecimento e enriquecer o povo. A gente está aqui lutando para acabar com o corte. E não só para isso, mas também lutando por mais investimentos na educação", disse.

O estudante do curso de Arquivologia da Ufes, João Alencar participou do ato
O estudante do curso de Arquivologia da Ufes, João Alencar participou do ato
Foto: José Carlos Schaeffer

Os dois grupos se encontraram na Reta da Penha e depois seguiram em direção a Assembleia Legislativa. Lá, ocuparam as duas pistas da Avenida Américo Buaiz por mais de uma hora enquanto organizadores e membros de organizações estudantis discursavam. O ato terminou por volta das 20h. Toda a movimentação foi acompanhada pela Polícia Militar, que não registrou ocorrências e estimou um público de 7500 pessoas no ato. Já a organização estimou a participação de 10 mil pessoas.

Outros atos foram registrados no interior do Estado. Estudantes de unidades do Ifes em Colatina, Nova Venécia, Linhares e Venda Nova do Imigrante realizaram manifestações. Em Alegre também houve protestos por parte de alunos da UFES que estudam no campus da cidade.

Ver comentários