Notícia

Racha na Terceira Ponte: advogado já teve CNH suspensa três vezes

O advogado já foi multado por infrações como estacionar veículo em local irregular, avançar sinal vermelho, dirigir usando o celular e excesso de velocidade

Ivomar Rodrigues Gomes Junior, de 34 anos, dirigia o Audi A1 que atingiu moto onde estava casal que morreu na Terceira Ponte
Ivomar Rodrigues Gomes Junior, de 34 anos, dirigia o Audi A1 que atingiu moto onde estava casal que morreu na Terceira Ponte
Foto: TV Gazeta

O advogado Ivomar Rodrigues Gomes Junior, preso após envolvimento no acidente que matou um casal de namorados na Terceira Ponte, na última quarta-feira (22), teve a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa três vezes entre setembro de 2011 e novembro de 2017.

A reportagem do Gazeta Online teve acesso a documentos que mostram as infrações de Ivomar  registradas no sistema do Departamento de Trânsito do Espírito Santo (Detran-ES). Consta que o advogado já foi multado por estacionar veículo em local irregular, avançar sinal vermelho, dirigir usando o celular, por excesso de velocidade e também por ter se recusado a fazer o teste do bafômetro.

> RACHA NA TERCEIRA PONTE | A cobertura completa

As infrações atribuídas ao advogado ocorreram nos municípios de Vitória, Vila Velha e Muniz Freire. Ele está habilitado na categoria B - que permite a condução de carro - desde 24 de outubro de 2002.

 

No dia 14 de março de 2009, ele foi multado na Rodovia do Sol por dirigir sob a influência de álcool ou qualquer substância psicoativa. A infração é gravíssima e rende sete pontos na carteira. A partir de um processo aberto pelo órgão de trânsito no dia 16 de setembro de 2011, Ivomar teve o direito de conduzir suspenso.

Por causa das penalidades, o advogado entregou a CNH ao Detran no 10 de janeiro de 2012. Ele teve o documento devolvido no dia 28 de fevereiro do ano seguinte. O procedimento foi encerrado pelo órgão de trânsito no dia dia 27 de fevereiro de 2013.

Em 2014, ele foi multado por avançar o sinal vermelho e por dirigir usando o celular na Rua 23 de Maio, em Vitória. O avanço de sinal vermelho é considerado uma infração gravíssima que rende sete pontos. Já por dirigir ao celular, o advogado acumulou quatro pontos. A infração é média. Naquele ano, ele teve a carteira suspensa por acúmulo de pontos permitidos.

No dia 6 de novembro de 2015, ele foi multado após avançar o sinal vermelho na avenida Jerônimo Monteiro, em Vitória, às 18h20. A infração é gravíssima e rendeu 7 pontos. No dia 18 de junho de 2017, Ivomar foi flagrado por excesso de velocidade ao trafegar no quilômetro 144 da BR 262, em Muniz Freire. A infração é considerada média e rendeu quatro pontos na CNH.

Em 2016, Ivomar se recusou a ser submetido ao teste do bafômetro após ter sido abordado na Rua Coutinho Mascarenhas, em Vitória. Ele foi multado após ter se recusado, levou sete pontos na carteira e teve a carteira novamente suspensa. 

Procurado pela reportagem para saber como está a situação atual da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) de Ivomar, o Detran informou que não divulga dados pessoais do prontuário dos condutores habilitados no Estado. 

A reportagem procurou o advogado de Ivomar, mas não conseguiu retorno do mesmo. 

O ACIDENTE

Acidente entre carros e moto mata duas pessoas na Terceira Ponte
Acidente entre carros e moto mata duas pessoas na Terceira Ponte
Foto: Reprodução

Era madrugada desta quarta-feira (22) quando um casal, que trafegava de moto pela Terceira Ponte, foi atingido por dois veículos, um Audi 1 e um Toyota Etios. Os namorados Kelvin Gonçalves dos Santos, 23 anos, e Brunielly Oliveira, 17, morreram na hora.

Para o delegado Ney Fanfa Ribas Neto, os motoristas do Audi e Etios — o estudante Oswaldo Venturini Neto, e o advogado Ivomar Rodrigues Gomes Junior — praticavam um racha. Testemunhas afirmam que a dupla estaria a cerca de 160 km/h, mas somente uma perícia vai apontar a velocidade dos veículos no momento da colisão.

 

 

 NOVAS TESTEMUNHAS SERÃO OUVIDAS

A Polícia Civil deve ouvir novas testemunhas sobre as circunstâncias do acidente que provocou a morte do casal Bruniely e Kevin, na última quarta-feira, na Terceira Ponte, na próxima semana. Segundo a delegada Fabiane Coutinho, da Delegacia de Delitos de Trânsito, os procedimentos do flagrante chegaram à delegacia nesta sexta-feira. "

Aguardamos a resultado do laudo do local da perícia para verificarmos algumas pontos, em especial a velocidade em que estavam os dois condutores", disse.

A delegada disse ainda que uma equipe de investigação foi designada para fazer mais levantamentos sobre o caso, inclusive levantar testemunhas sobre o caso. A Delegacia de Delitos de Trânsito tem prazo de 10 dias, a partir da data do flagrante, para encerrar o inquérito e encaminhá-lo para a Justiça.

A defesa de Oswaldo aguardará a conclusão das investigações, foi o que informou por meio de assessoria de imprensa. A reportagem tentou contato com o advogado de Ivomar, mas ele não retorno.

Ver comentários