Notícia

Reforma em parte da Segunda Ponte começa no segundo semestre, diz DER

As obras serão realizadas em Vila Velha, na altura da Avenida Carlos Lindenberg e nos acessos de Cariacica nos trechos de responsabilidade do DER. Já o trecho que fica sobre o mar é de responsabilidade do DNIT e não há data para início das obras

Estrutura da Segunda Ponte
Estrutura da Segunda Ponte
Foto: Marcelo Prest

Parte das obras de manutenção da

Segunda Ponte

devem começar nos próximos meses. O Departamento de Estradas e Rodagem do Espírito Santo (DER-ES) já publicou o edital de contratação da empresa que realizará os serviços de reparos. As obras serão realizadas em Vila Velha, na altura da Avenida Carlos Lindenberg e nos acessos de Cariacica. O outro trecho, que fica sobre o mar, é de responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e não há data para início das obras.

A empresa vencedora da licitação será conhecida no dia 28 deste mês. De acordo com o DER, as obras começam no segundo semestre deste ano, mas não há uma data definida. O órgão também não informou quanto tempo vão durar as intervenções.

> LEIA TAMBÉM: Boato de 2015 sobre rachadura na Segunda Ponte volta a circular no ES

Quem passa diariamente pela ponte fica preocupado com o desgaste da estrutura. O motorista Renato dos Santos diz que só acredita em uma reforma da Segunda Ponte quando ele ver, de fato, as obras. “Já estamos cansados de esperar, todo ano dizem que a reforma vai sair e nunca sai. A situação dela é bem precária, passo de carro e vejo que a situação está difícil”, contou.

motorista Renato dos Santos
motorista Renato dos Santos
Foto: Patrícia Scalzer

O taxista Paschoal Inácio de Souza diz que passa pela Segunda Ponte com medo, já as rachaduras na via são visíveis. “Eu tenho medo dela cair. Acho que o governo tem que tomar uma iniciativa o mais rápido possível. Mas essas obras precisam ser feitas à noite e nos domingos e feriados. Durante a semana não tem como fazer, se não vai virar um caos”, afirmou.

Irregularidades

Em dezembro de 2017, um laudo técnico de engenheiros do Crea-ES apontou corrosões no concreto e nas ferragens que a sustentam. Além de problemas nas juntas de dilatação, que apresentam abertura maior do que o normal e falta do material elástico.

Em março deste ano, o Ministério Público Estadual (MPES) notificou o DER para que a manutenção da Segunda Ponte começassem em até 30 dias. O órgão ministerial instaurou inquérito para apurar a falta reparos na ponte por parte do DER.

O consultor técnico do Crea-ES, José Márcio Martins, destaca que a Segunda Ponte é a ponte mais Importante do Estado, já que além da mobilidade, ela também é caminho para veículos de cargas. De acordo com José Márcio, as normas técnicas e manuais rodoviários recomendam que as pontes, com a movimentação de veículos da Segunda Ponte, precisam passar por manutenções anualmente.

“Toda vez que você deixa uma deformação estrutural avançar, o reparo fica muito mais oneroso, fora os riscos à vida das pessoas e usuários. Esse monitoramento deve ser anual, além de uma inspeção mais detalhada, no mínimo, de cinco em cinco anos”

Procurado, o Dnit informou que o edital para a contratação do serviço de recuperação estrutural da Segunda Ponte está sendo elaborado pela Superintendência Regional do DNIT no Espírito Santo, com o objetivo de contratar uma empresa especializada para a realização do serviço. Disse também que o andamento do processo está seguindo o cronograma planejado, porém, não informou datas.

Rodoviária

As obras de manutenção nos pilares da Rodoviária de Vitória seguem sem data para começar. Em 2017, o Crea também alertou sobre problemas de corrosão nos pilares do terminal, na parte do mar, que poderiam levar ao colapso da estrutura. De acordo com o diretor geral do Instituto de Obras Públicas do Espírito Santo (IOPES), Luiz Cesar Maretto Coura, o órgão está elaborando o projeto de reforma, porém, não há prazo para o início das obras porque não há risco no local.

As obras emergenciais, segundo Maretto, já foram realizadas, que foram a separação do telhado do terminal de passageiros da parte onde funcionava o antigo Aquaviário e a divisão do piso. A empresa responsável pela administração da Rodoviária de Vitória informou que as obras que separam os terminais rodoviário e aquaviário já foram concluídas e não há mais nenhum risco aos passageiros.

 

Obras na Rodoviária de Vitória
Obras na Rodoviária de Vitória
Foto: Patrícia Scalzer

Ver comentários