Notícia

Santa Ceia: artista cria escultura com areia na Praia de Camburi

Carioca que vive da arte e mora nas praias construiu em Camburi a escultura da Santa Ceia e para o dia das mães ele promete uma surpresa

Escultura da Santa Ceia na Praia de Camburi, em Vitória
Escultura da Santa Ceia na Praia de Camburi, em Vitória
Foto: Vanda Lopes

Quem costuma passar pelo calçadão ou areia da Praia de Camburi notou que o local ganhou uma obra de arte feita com as areias da capital nessa semana. É uma escultura da Santa Ceia que ainda está sendo construída pelo carioca Waldemir Pereira, de 39 anos.

> Arte na areia da Praia da Costa encanta e garante sustento de capixaba

Waldemir está "morando" na Praia de Camburi desde a sexta-feira (3), quando chegou à capital capixaba. Com uma faca, uma esponja, água e areia, ele fez Jesus, os discípulos e agora faz os alimentos para compor o cenário e sobrevive dessa arte.

Carioca Waldemir Pereira fez a escultura da Santa Ceia na Praia de Camburi
Carioca Waldemir Pereira fez a escultura da Santa Ceia na Praia de Camburi
Foto: Luciana Castro

Bem recepcionado pelos capixabas que transitam por ali, o carioca conta que vive da arte desde a adolescência. Ele não tem casa. Vive nas praias.

"Sou nascido e criado no Morro do Cantagalo, no Rio de Janeiro, e aprendi a fazer esculturas na areia em Ipanema, quando tinha 12 anos. Desde então tento viver da arte, que é o que gosto de fazer. Já trabalhei como auxiliar de serviços gerais, mas eu fiquei um mês e não aguentei. Sou feliz mesmo é com a arte e eu luto pela arte. A minha caixinha fica ali para quem puder contribuir. Aqui em Vitória as pessoas me receberam bem e gostaram do meu trabalho. Muitos se emocionaram. Já estive aqui em 2004, quando havia aqueles outros quiosques", relembra.

> Idoso transforma canetas em arte e caminha para vender e tratar diabetes

O carioca conta que não precisa de muito para fazer o trabalho. O talento, de acordo com ele, sobrepõe as ferramentas e o resultado agrada quem observa.

"O que uso é areia, água e paciência. Tenho uma faquinha também e só. Eu pego essa areia bem do fundo, e ela vem com um pouco de barro. Eu levanto um bloco. Esculpo e deixo ele quieto, passo para o outro. A feição é tudo imaginário. Existem pessoas que são curiosas, tocam e acabam derrubando. Não sou católico, mas acredito em Deus. Vou fazer uma surpresa para o Dia das Mães, que vai ficar aqui do lado da Santa Ceia, não vou contar o que é, mas é só o pessoal passar aqui para ver", conta.

Waldemir tem dormido do lado da escultura, que fica próximo ao K3 da Praia de Camburi.

Ver comentários